sexta-feira, 21 de maio de 2021

RANKING GOLEADORES PORTISTAS

O último jogo da temporada rendeu 4 golos ao FC Porto que assim encerrou com a bonita soma de 107, no conjunto de todas as competições (2 na Supertaça Cândido de Oliveira, 74 na Liga NOS, 13 na Taça de Portugal, 3 na Taça da Liga e 15 na Champions League).

Os últimos protagonistas, que registaram os 4 golos frente ao Belenenses SAD, foram Mehdi Taremi, Marko Grujic, Toni Martínez e Diogo Leite.

Mehdi Taremi abriu o activo aos 14 minutos, na sequência de um erro defensivo em que Silvestre Varela não foi capaz de recolher com eficácia, sobrando a bola para Otávio, que assistiu para o avançado iraniano rematar de primeira e bater o guardião Kritciuk.


Taremi apontou o seu 23º golo de Dragão ao peito, sagrando-se o melhor marcador portista desta temporada., colocando-se no 97º lugar deste ranking (subida de 5 posições), tendo agora a companhia de Geraldão (1987), Alenitchev (2000) e Maniche (2002), com o mesmo número de golos.




















O segundo golo do encontro foi marcado por Marko Grujic aos 28 minutos, depois de uma incursão de João Mário pela direita e cruzamento atrasado para o remate pronto do médio sérvio.


Grujic apontou o seu 2º golo com a camisola do FC Porto, colocando-se no 344º lugar, com uma subida de 88 posições, juntando-se agora a um lote de 53 atletas com o mesmo número de golos.




















Toni Martínez foi o autor do 3º golo portista aos 50 minutos. Roubo de bola de Taremi, seguido de lançamento para a entrada do avançado espanhol, que à saída do guardião contrário, fez-lhe a picadinha por cima e introduziu-a nas redes.


Assinou o ponto pelo 3º jogo consecutivo e soma agora 8 golos, colocando-se no 185º lugar (subida de 13 posições), na companhia de Carlos Pereira (1935), Amaury (1965), Mitharsky (1991), Toni (1991), Paulinho Santos (1993), Quinzinho (1995) e André André (2015).




















O último golo portista do jogo e da temporada teve a assinatura de Diogo Leite, aos 81 minutos, na sequência de um livre batido por Fábio Vieira para a área onde apareceu o central azul e branco a saltar mais alto e a cabecear certeiro.


Diogo Leite cumpriu assim a tradição de marcar 1 golo por época, na equipa principal do FC Porto, somando agora 3, que lhe permitiu subir 51 lugares e fixar-se para já na 290ª posição.



quarta-feira, 19 de maio de 2021

GOLEADA PARA ENCERRAR TEMPORADA

 
















FICHA DO JOGO





























SISTEMA TÁCTICO























O FC Porto encerrou a temporada com uma goleada frente ao Belenenses SAD, com 5 golos sem resposta, mas a equipa de arbitragem achou por bem fazer um pequeno desconto, anulando a jogada do que seria o 2º golo de Taremi neste encontro. Enfim, mais uma bizarria do homem do apito.

O técnico portista foi obrigado a mexer no onze inicial, em função do afastamento de Matheus Uribe, a cumprir castigo por ter visto o 5º amarelo no jogo anterior. Sérgio OIliveira foi o eleito para o substituir, mantendo todos os outros elementos.


























Com as duas equipas já com as posições definidas na classificação, o jogo foi realizado com alguma descontracção e sem grandes pressões. O Belenenses mais defensivo e os Dragões a tomarem conta das operações, como lhe era exigido.

A equipa lisboeta, sem nada a perder, tentou jogar de igual para igual e essa ousadia acabou por sair-lhe caro. É verdade que deu uma réplica interessante, criou algumas dificuldades e desperdiçou algumas boas ocasiões para marcar, mas isso ainda valorizou mais a vitória gorda com que os azuis e brancos coloriram o resultado final.

Mehedi Taremi (14'), Marko Grujic (28'), Toni Martínez (50') e Diogo Leite (81'), foram os protagonistas da goleada.

Destaques para o bom entendimento entre a dupla atacante e para a capacidade de atingir as redes com mais alguma eficácia.

Agora ficamos à espera da decisão do técnico portista quanto à sua renovação. Eu acho e desejo que deve continuar.

segunda-feira, 17 de maio de 2021

RANKING GOLEADORES PORTISTAS

 A deslocação a Vila do Conde rendeu três golos aos jogadores portistas, com assinatura de Toni Martínez, Luis Díaz e Sérgio Oliveira, para um pecúlio de 103 golos nesta temporada.

O avançado espanhol abriu o activo aos 56 minutos, depois de uma jogada muito bem construída pela equipa do FC Porto. Matheus Uribe, junto do circulo central do relvado lançou na direita João Mário, o jovem lateral/ala recepcionou, flectiu para trás e fez um passe a rasgar entre dois adversários, para a entrada oportuna de Toni Martínez que rematou à meia-volta para um golo de belo efeito.


Foi o 7º da sua lavra, com a camisola da equipa principal e o 2º em 2 jogos consecutivos, subindo 18 lugares de uma assentada, sendo agora o 197º deste ranking, fechando um lote constituído por Carlos Mesquita (1934), Vlk (1990), Latapy (1994), Fernando Mendes (1996), Paredes (2001), Marco Ferreira (2002), Diego (2004), Defour (2011), Quintero (2013), Hernâni (2014), Adrian López (2014) e do seu actual colega de equipa Mbemba.




















Luis Díaz, também ele a marcar nos dois últimos jogos, foi o autor do segundo golo portista aos 59 minutos, em mais uma boa construcção ofensiva. Marchesín desfez uma ofensiva vilacondense saindo da sua área para cortar o lance, a bola sobrou para Otávio que avançou no terreno, lateralizou à esquerda para Taremi. O avançado levantou a cabeça, fazendo um passe a rasgar para Luis Díaz. O colombiano recebeu, rodou para evitar um adversário e à aproximação de outro defesa, rematou de surpresa, batendo Kieszek, para mais um belo golo.

Fez o seu 11º golo nesta temporada, para um acumulado de 25, que lhe permitiu subir 4 posições, ficando agora no 90º lugar, com a companhia de Hall (1923), José Carlos (1989), Jorge Costa (1992) e Clayton (2001).




















O 3º e último golo do encontro frente ao Rio Ave foi da autoria de Sérgio Oliveira, aos 68 minutos. O médio portista que tinha saído do banco um minuto antes, recebeu dentro da área um passe de Luís Díaz, de costas para a baliza, rodou e rematou com peso, conta e medida num golo marcado pela excelência técnica e beleza estética do lance.

Depois de um jejum de 9 jogos sem marcar, tendo por isso perdido a liderança de melhor marcador do FC Porto, Sérgio Oliveira somou o seu 20º golo desta temporada, num acumulado de 34, que lhe garante desde já o 72º lugar deste ranking, ficando agora na companhia de Perdigão (1953) e Ernesto Farías (2007).



domingo, 16 de maio de 2021

SEGUNDA PARTE DEMOLIDORA GARANTE VITÓRIA CONFORTÁVEL

 
















FICHA DO JOGO





























SISTEMA TÁCTICO























O FC Porto venceu e convenceu, em Vila do Conde, batendo o Rio Ave com um resultado claro, fruto principalmente de uma segunda parte de muito bom nível, melhor do que na primeira onde sentiu algumas dificuldades impostas por uma turma aguerrida, sequiosa de pontos para não descer, motivo para se apresentar com um bloco baixo, mas com alguma criatividade para criar alguns problemas junto da baliza de Marchesín.

Impossibilitado de utilizar Mbemba, a cumprir castigo, Sérgio Conceição procedeu apenas a essa alteração, chamando Diogo Leite, relativamente ao jogo anterior.

























Depois de uma primeira parte de algum domínio natural, mas com poucas oportunidades para marcar, algum azar na bola atirada ao ferro por Taremi (26'), mas alguma sorte no falhanço de Carlos Mané (37'), os Dragões rubricaram uma segunda parte de grande qualidade, com o resultado a avolumar-se e a garantir inequivocamente o segundo lugar que dá direito à entrada directa na Champions League e aos respectivos milhões, que serão muito bem vindos.

Toni Martínez (56'), Luis Díaz (59') e Sérgio Oliveira (68'), foram os marcadores de serviço, construindo uma vitória importante e confortável.

Destaques para o regresso de Ivan Marcano, afastado por lesão desde Março de 2020, para as boas exibições de Luis Díaz e Marchesín e ainda para a ausência de Marega, depois do anúncio precipitado da sua assinatura por outro clube.

quarta-feira, 12 de maio de 2021

RANKING GOLEADORES PORTISTAS

 A 32ª jornada da Liga NOS, frente ao S.C. Farense, proporcionou cinco golos ao FC Porto e permitiu a 4 atletas do seu plantel aumentar o seu pecúlio no ranking de goleadores portistas.

Mehdi Taremi esteve em particular evidência, porque foi autor de dois golos, abrindo inclusivamente o marcador, mas também por ter estado em 4 dos cinco golos marcados pela equipa portista.

Abriu o activo aos 6 minutos, na sequência de uma grande penalidade a castigar braço na bola, dentro da área, de Licá. Remate potente para o lado direito do guarda-redes, que apesar de ter adivinhado o lado, foi impotente para o deter.


Bisou aos 59 minutos, quando se isolou, depois de passe de Otávio. Recebeu, dominou, fitou a baliza e rematou colocado fazendo a bola roçar o poste e de seguida beijar as malhas.

Mehdi Taremi subiu 5 posições e juntou-se ao grupo de atletas com 22 golos, comandados por Gastão (1955), Osvaldo Silva (1957), Frasco (1978) e Adriano (2005).



















O 2º golo do jogo foi obtido por Toni Martínez, aos 14 minutos, após uma boa assistência de Mehdi Taremi. O avançado espanhol evitou o defesa Tomás Tavares para rematar de seguida, fazendo a bola passar por entre as pernas do guarda-redes Beto. 


Subiu 18 lugares e ficou agora na companhia de Romão (1945), Virgílio (1947), Ivan (1960), Rolando (1964), Valdemar (1965), Lisboa (1967), Laurindo (1973), Murça (1974), Gabriel (1977), Eurico (1983), Lipscei (1995), Doriva (1997), Chainho (1999), Rúben Micael (2009), Fernando (2011), Evandro (2014) e Matheus Uribe (2020), todos com 6 golos marcados.



















O autor do 3º golo foi o colombiano Luis Díaz, aos 20 minutos, com Taremi mais uma vez na assistência. Desmarcação com ligeira flexão para a esquerda, recepção orientada no sentido da baliza e na cara de Beto rematou para o poste mais afastado, fazendo um golo de belo efeito.

Luis Díaz soma 24 golos, subindo 4 lugares. Tem agora a companhia de Pratas (1940), Pavão (1965) e André Silva (2016).



















O 5º e último golo portista neste jogo foi marcado pelo jovem, oriundo da formação portista, João Mário, aos 84 minutos. Reposição da bola efectuada por Marchesín com pontapé longo e dirigido para a ala esquerda. O avançado portista foi mais rápido a abordar o lance, galgou terreno, entrou na área, evitou um adversário, enquadrou-se com a baliza rematando cruzado, fora do alcance do guarda-redes.


Este é o seu segundo golo com a camisola da equipa principal do FC Porto, que lhe permitiu dar o salto maior neste ranking, ultrapassando um imenso lote de atletas só com um golo e que soma, nada mais, nada menos que 88 figuras, juntando-se agora a outro numeroso lote de atletas com dois golos, constituído por 53 nomes, que não vou enumerar, para não ser fastidioso.





terça-feira, 11 de maio de 2021

FARTOTE DE GOLOS COM VAR ATENTO

 















FICHA DO JOGO




























SISTEMA TÁCTICO
























O FC Porto recebeu e bateu com goleada, o SC Farense, num jogo que começou a ficar fácil muito cedo, por culpa dos jogadores algarvios que cometeram muitos erros defensivos, bem aproveitados pelos Dragões que aos 20 minutos já tinham o jogo resolvido com 3 golos sem resposta.

Foi com 3 alterações no onze titular que os azuis brancos se apresentaram para realizar mais um jogo da Liga NOS. João Mário foi colocado na lateral direita, fazendo deslocar Manafá para o lado contrário, em vez de Zaidu, Marko Grujic surgiu no lugar do castigado Sérgio Oliveira e Toni Martínez em vez de Marega, por opção técnica.

























A entrada forte no jogo originou um penalty, quando era ainda decorrido o quarto minuto, que só foi confirmada após chamada de atenção do VAR e visionamento do lance do árbitro Tiago Martins. Taremi não perdoou da linha dos onze metros e o FC Porto partiu para 20 minutos arrasadores.

O avançado portista, hoje novamente em grande, recuperou uma bola, lançando Toni Martínez, com um passe a rasgar, colocando o espanhol na cara de Beto, a fazer passar a bola por entre as suas pernas e a ampliar o resultado (14').

Seis minutos mais tarde (20'), Taremi voltou a assistir, desta vez Luis Díaz que recebeu a bola sob a esquerda, fletiu para o centro, enquadrou-se com a baliza e rematou ao poste mais distante, obtendo um golo de belo efeito (3-0).

Para piorar a situação, Bilel entrou muito duro sobre Manafá (29'), Tiago Martins exibiu-lhe numa primeira fase o cartão amarelo, mas depois de ter sido alertado pelo VAR e visionado as imagens, corrigiu a admoestação anulando o amarelo para o substituir pelo vermelho.

Se o jogo até então não tinha oferecido grandes complicações, a partir de então deu para os azuis e brancos abrandarem o ritmo, passando a controlar mais o jogo e o resultado, trocando bem a bola, muitas vezes ao primeiro toque, de pé para pé, obrigando o adversário a desgastar-se.

Só depois do intervalo o marcador voltou a funcionar. Mbemba já não entrou, dando o seu lugar a Diogo Leite e aos 59 minutos Taremi voltou a brilhar, na sequência de uma desmarcação a um passe de Otávio que o iraniano aproveitou para aparecer em zona de finalização e desferir o remate fatal e ilustrar o marcador nos 4-0.

O técnico portista Sérgio Conceição aproveitou o conforto do resultado para refrescar a equipa, lançando Evanilson, Fábio Vieira e Romário Baró, para as saídas de Mehdi Taremi, Luis Díaz e Marco Grujic (63') e oito minutos depois Francisco Conceição para o lugar de Toni Martínez, passando os Dragões a ter em campo 5 elementos da sua formação.

Pertenceu a um desses jovens, no caso João Mário, o 5º e último golo portista deste jogo. Marchesín repôs a bola em jogo com passe longo a desmarcar o número 23 sob o lado esquerdo que arrancou pelo flanco, rematou cruzado e foi feliz.

O jogo não acabaria sem o golo de honra da equipa visitante, em resultado de um mau atraso de cabeça de Diogo Leite a isolar Licá e uma abordagem deficiente de Marchesín a permitir o golo.

Vitória tranquila da melhor equipa, que continua sólida na conquista do 2º lugar que lhe conferirá o direito de aceder directamente à Champions League.


sábado, 8 de maio de 2021

RANKING GOLEADORES PORTISTAS

No empate frente ao Benfica (1-1), coube a Matheus Uribe o remate certeiro, de primeira, na sequência de um cruzamento atrasado de João Mário, a repor alguma justiça no resultado.


O médio internacional colombiano, alcançou o seu 6º golo de Dragão ao peito, o 5º desta temporada (1 na CL e 4 na Liga NOS). Subiu 20 posições e alcançou o lote de atletas com 6 golos constituído por Romão (1945), Virgílio (1947), Ivan (1960), Rolando (1964), Valdemar (1965), Lisboa (1967), Laurindo (1973), Murça (1974), Gabriel (1977), Eurico (1983), Lipscei (1995), Doriva (1997), Chainho (1999), Rúben Micael (2009), Fernando (2011) e Evandro (2014). 



quinta-feira, 6 de maio de 2021

LUTA PELO 2º LUGAR MANTEM-SE INTACTA

 
















FICHA DO JOGO





























SISTEMA TÁCTICO























O FC Porto perdeu hoje no salão de festas, por 1-1, sim para mim foi derrota, mas continua firme na luta pela manutenção do segundo lugar, mantendo o seu rival a 4 pontos de distância.

Não vou fazer grandes comentários, uma vez que, como sabem quantos seguem este espaço, não vi o jogo pelas razões já evocadas em anos anteriores, tendo apenas seguido o relato pelo Porto canal.

Do que ouvi apenas quero destacar algumas percepções.

A equipa portista continua demasiada perdulária e muito pouco eficaz no remate. 

A equipa de arbitragem voltou a ser uma nulidade. Não fora a conduta do VAR (finalmente uma exibição mais atenta, competente e honesta) e o resultado teria sido desastroso.

Há quem ainda alimente a ilusão do título. Para mim tal desiderato terminou há muito. Manter o segundo lugar vai ainda dar muito trabalho, face a este empate/derrota.

terça-feira, 4 de maio de 2021

RANKING GOLEADORES PORTISTAS

Mais três golos para a colecção dos goleadores portistas, desta vez frente à valorosa equipa do Famalicão que saiu do Dragão com uma honrosa derrota por 3-2.

O primeiro foi obtido por Toni Martínez, titular a tempo inteiro neste jogo, a aproveitar com estilo uma assistência do seu companheiro de ataque Mehdi Taremi.


É o 5º golo da sua lavra com a camisola da equipa principal do FC Porto, que o coloca no 231º lugar deste ranking, subindo de uma assentada 25 posições. Fecha agora o lote dos marcadores de cinco golos, constituído por Vianinha (1937), Faria (1942), Malagueta (1966), Eduardo Gomes (1968), Adelino Teixeira (1974), Vinha (1993), Yuran (1994), Barroso (1996), Ricardo Silva (1999), Carlos Alberto (2003), Hugo Almeida (2005), Marc Janko (2012), Josué (2013), Carlos Eduardo (2013), Maxi Pereira (2016), Éder Militão (2018) e Matheus Uribe (2020).




















O segundo golo esteve a cargo de Mehdi Taremi, de penalty, na sequência de uma falta dentro da área de rigor, cometida sobre si mesmo, pelo central famalicense Diogo Queirós. Bola para um lado e guarda-redes para o outro, como a imagem documenta.


Com este golo, Taremi passa a ser o melhor marcador do FC Porto, nesta temporada, deixando a companhia de Sérgio Oliveira que tem agora menos um golo.

Em termos de ranking geral o avançado portista ocupa agora o 105º lugar, subindo dez lugares, juntando-se a João Pinto (1985), Artur (1996) e Ivan Marcano (2015 mas ainda no plantel actual).




















O Terceiro e último golo portista neste jogo teve a assinatura de Marko Grujic, que se estreou a marcar de Dragão ao peito. O médio sérvio, que foi também titular a tempo inteiro, sofreu falta ainda longe da área e no seguimento do livre apontado por Otávio para a área, saltou mais alto e de cabeça introduziu a bola nas redes contrárias.


Grujic inscreve assim o seu nome neste ranking, ocupando a última posição (431º), fechando um imenso lote de atletas que marcaram apenas um golo, de azul e branco vestidos, lote esse que começará a ser elencado individualmente muito brevemente.




sábado, 1 de maio de 2021

VITÓRIA COM ALGUM MASOQUISMO

 















FICHA DO JOGO




























SISTEMA TÁCTICO
























O FC Porto regressou aos triunfos, na recepção ao FC Famalicão, num jogo de duas faces, como já vem sendo hábito.

Foram 4 as novidades no onze inicial, comparativamente com o jogo anterior frente ao Moreirense. Diogo Leite, Marko Grujic, Francisco Conceição e Toni Martínez renderam respectivamente, Pepe (a cumprir castigo), Sérgio Oliveira, Nanu e Marega.

























Com o técnico principal castigado para os 4 jogos seguintes, em função da sua enérgica reacção à roubalheira em Moreira de Cónegos, que constituiu a exibição execrável de um "apitador" incompetente (para ser simpático) e ainda com Pepe a cumprir castigo, por ter visto o 5º amarelo, mostrado incompreensivelmente pela figura já descrita, a equipa apareceu com Corona recuado na lateral direita, Diogo Leite ao lado de Mbemba, Marko Grujic no apoio a Uribe, Francisco Conceição em estreia absoluta como titular, na facha direita e Toni Martínez como segundo avançado.

Entrada forte dos azuis e brancos que lograram muito cedo a vantagem no marcador. Passe em profundidade de Matheus Uribe para o coração da área, Taremi assistiu de cabeça com toque ligeiro e na passada Toni Martínez desferiu o remate fatal (7').

O FC Porto tinha tudo para fazer um jogo tranquilo e carregar sobre o Famalicão para dilatar o marcador, mas a verdade é que a qualidade foi decaindo, principalmente depois da lesão de Corona aos 19', motivando a sua substituição e quiçá alguma baralhação nos planos inicialmente traçados pela equipa técnica.

Assim, a primeira parte ficou praticamente resumida aos bons lances da primeira quinzena de minutos, com responsabilidade para as duas equipas, mas o resultado conheceria alteração, bem perto do intervalo, quando Nuno Almeida inventou uma pretensa falta de Diogo Leite, superiormente cobrada por Ivo Rodrigues, um jovem talento da formação do FC Porto, agora ao serviço da equipa minhota, repondo a igualdade.

Para a segunda metade, Francisco Conceição deu o seu lugar a Luis Díaz e o jogo subiu de qualidade com o FC Porto a impor um futebol mais rápido, consistente, criterioso e lúcido. As oportunidades de golo começaram a aparecer e algumas delas a serem concretizadas. Taremi sofreu falta para penalty, o árbitro assinalou e o VAR confirmou. O avançado iraniano rematou forte e colocado, enganando o guarda-redes que se atirou para o lado contrário (60'). Depois foi Grujic a concluir de cabeça, na sequência de um livre a castigar falta sobre si próprio, que Otávio cobrou com peso, conta e medida (75').

Com uma vantagem confortável, não se compreende que os campeões nacionais acabassem o jogo em autêntica aflição. Era suposto abrandarem o ritmo, controlarem o jogo e o resultado a seu belo prazer, contudo parece terem entrado em excessos de confiança e de um momento para o outro a bola estava no fundo da baliza de Marchesín em cima dos 90 minutos. 

Os três minutos de compensação foram um autêntico sufoco, com uma série de cantos consecutivos sem que os jogadores do FC Porto conseguissem a posse da bola.

A vitória foi indiscutível, mas não havia necessidade de passar pelos calafrios finais.


quarta-feira, 28 de abril de 2021

RANKING GOLEADORES PORTISTAS

Foi de grande penalidade, apontada aos 86 minutos, a castigar falta de Rosic sobre Toni Martínez,  que Mehdi Taremi fez o golo da igualdade (1-1), resultado com que terminou o jogo disputado em Moreira de Cónegos, frente ao Moreirense, em jogo a contar para a 29ª Jornada do Campeonato nacional (Liga NOS).


Trata-se do 19º golo, de Taremi de Dragão ao peito, todos conseguidos nesta sua temporada de estreia (12 Liga NOS; 5 Taça de Portugal e 2 Champions League), que o coloca a par de Sérgio Oliveira na lista de melhores marcadores.

Em termos de ranking geral, o avançado iraniano, subiu 6 posições, fixando-se agora no 114º lugar, juntando-se a um lote de mais 9 atletas, com o mesmo numero de golos, constituído por António Morais (105º), Jaime Pacheco (106º), Juary (107º), Paulo Pereira (108º), Folha (109º), Jankauskas (110º), Raúl Meireles (111º), Danilo Pereira (112º) e do seu actual companheiro de equipa, Otávio (113º).



segunda-feira, 26 de abril de 2021

A INCOMPETÊNCIA E PREPOTÊNCIA DA ARBITRAGEM SÃO A IMAGEM DO PAÍS

 
















FICHA DO JOGO




























SISTEMA TÁCTICO






















O FC Porto voltou a atrasar-se na luta pelo segundo lugar ao conceder um empate em Moreira de Cónegos, num jogo que ficou marcado pela incompetência, arrogância e prepotência de uma arbitragem que é no fundo a imagem deste Portugal dos pequeninos, onde reinam os interesses instalados, a corrupção e o clientelismo, que arrasa sem respeito o esforço de quem por mérito quer singrar.

O jogo de hoje em Moreira de Cónegos não correu de feição à equipa portista que entrou forte mas sem a objectividade necessária para derrubar o muro defensivo com que a equipa da casa se apresentou, sustentada num bloco reforçado atrás, num 5x4x1, sistema contra o qual os azuis e brancos costumam ter grandes dificuldades.

A equipa portista, bastante desgastada fisicamente apresentou-se com o mesmo onze titular, do jogo anterior frente ao Vitória SC, já que não pode ainda contar com Zaidu.
























A par dessas dificuldades, o FC Porto ainda teve de lutar com a boa desdobragem em alguns lances, da equipa do Moreirense que logrou marcar primeiro (37'), na sequência da marcação de um canto, bem aproveitado por Ferraresi, a aparecer livre de marcação e a rematar com convicção.

Os campeões nacionais continuaram  na sua toada ofensiva, mas quase sempre pouco esclarecida e à medida que o jogo se desenvolvia, tornavam-se evidentes, a boa organização defensiva da equipa da casa, o desgaste emocional dos jogadores portistas e a gritante incompetência, para ser simpático, desta equipa de arbitragem que foi acumulando erros graves, com influência no resultado final.

Três lances para grande penalidade (sobre Pepe, Francisco Conceição e Luis Díaz), sonegadas sem qualquer tipo de explicação, dualidade de critério aberrante, a manchar ainda mais este campeonato que já mete nojo. Enfim, mais do mesmo.

O empate chegaria aos 86 minutos a castigar falta sobre Toni Martínez. Taremi com remate forte e certeiro repôs a igualdade.

Dez centímetros, muito discutíveis, roubaram a possibilidade da vitória, invalidando um golo a Toni Martínez (92'), e assim se derruba a esperança de atingir outros objectivos mais ambiciosos.

Ficou mais uma vez provado que para o FC Porto ser campeão ou lutar até ao fim para o ser, tem de ter uma super equipa, o que infelizmente não é o caso.