terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

OS FINS DE CICLO POMPOSAMENTE ANUNCIADOS

Sempre que uma época desportiva corre menos bem ao FC Porto, logo reaparecem os arautos da verdade desportiva, coadjuvados pelos pasquins alienados e propagandistas, a anunciar com toda a pompa e circunstância o fim do ciclo e da alegada influência trapaceira de Pinto da Costa.

Tem sido assim aos longo dos anos, desde que o FC Porto, depois de um longo jejum, conquistou a hegemonia do futebol português, por mérito próprio, mas nunca reconhecido, constante e levianamente posta em causa, pelos rivais e seus acólitos.

Foi assim depois da morte de Pedroto; depois da saída de Artur Jorge para França; depois do pentacampeonato; depois da saída de Mourinho para o Chelsea; depois do famigerado Apito Dourado; depois da chegada de Jorge Jesus ao Benfica; depois da saída de André Villas-Boas. 

Pois bem, em todas as situações o FC Porto mostrou a todos esses profectas da desgraça que a hegemonia conquistada veio para durar. Sendo certo que nenhum clube do Mundo consegue triunfar todas as épocas, soube organizar-se e responder consistentemente a todos os obstáculos e armadilhas, colocados na tentativa de sabotarem o seu caminho triunfal. 

Superou as diversas alterações operadas nos Organismos que superintendem a organização das provas (FPF e LPFP); na forma da indicação dos árbitros (nomeação ou sorteio) e até as campanhas  de difamação e de perseguição, orquestradas e difundidas até à exaustão.





























As respostas foram exuberantes e retumbantes, quer no terreno de jogo como nas estâncias próprias, aquém e além fronteiras, deixando as suspeitas para os alienados, frustrados e invejosos.








Estamos a atravessar mais um desses períodos e, como de costume vai ser necessário apelar à união de todos os portistas, interessados em defender a sua integridade, a sua dignidade e a sua capacidade de discernir a crítica construtiva da gratuita e malévola.

Tenho consciência das dificuldades porque passamos e não vou ser eu a pôr em causa o trabalho de responsáveis que muito nos deram, assentes nos 4 pilares fundamentais que transformaram o FC do Porto no melhor Clube de Portugal: Rigor, disciplina, competência e paixão.

1 comentário:


  1. «largos dias têm cem anos»

    certamente que iremos recordar estes momentos, no Futuro. e certamente que estaremos ainda mais fortes, nesse Futuro.

    somos Porto!, car@go!
    «este é o nosso destino»: «a vencer desde 1893»!

    abr@ços
    Miguel | Tomo II

    ResponderEliminar