quinta-feira, 29 de fevereiro de 2024

COMEÇAR NA NATAÇÃO, PASSAR PELO RAGBY E ACABAR COM FUTEBOL

 

















FICHA DO JOGO



























SISTEMA TÁCTICO

























O FC Porto deslocou-se hoje aos Açores para completar o jogo da Taça de Portugal, que foi suspenso aos 27 minutos, devido à falta de condições do relvado, provocado pelo mau tempo, jogo esse que não deveria ter sequer começado, tão evidentes eram a falta de condições para se realizar.

Vinte e dois dias depois as equipas em questão voltaram ao relvado, agora em boas condições, sendo suposto não haver qualquer alteração nos onze titulares que começaram (indevidamente) o encontro. Assim, Fábio Cardoso, Nico González e Wenderson Galeno, que não foram opções iniciais frente ao Gil Vicente, no jogo anterior, regressaram à titularidade.

























Já a equipa de assopradores do apito teve uma alteração, já que Gustavo Correia, o assoprador que demorou 27 minutos a perceber a impraticabilidade do terreno, lesionou-se e teve de ser substituído por outro artista similar, Cláudio Pereira, que assobiou quase tudo contra o FC Porto e quase nada contra o Santa Clara.

O jogo recomeçou com o cronômetro exactamente a partir do segundo em que tinha sido interrompido e com um lançamento lateral para a equipa da casa, perto da área portista.

Um lance aparentemente inofensivo que acabou em golo por culpa da forma indolente como os jogadores azuis e brancos abordaram o lance. Wendell, Nico e Fábio Cardoso deixaram-se antecipar na disputa aérea, a bola sobrou para Bruno Almeida que rematou à vontade, mas na direcção de Diogo Costa. O guardião portista alinhou na indolência dos seus companheiros, largando a bola. Rafael Martins agradeceu a oferta empurrando a bola para o golo. Em apenas 10 segundos os Dragões começaram a perder, por culpa própria. 

Mérito para o adversário que «estudou» muito bem este lance, tirando partido da respectiva aplicação! Será que o frango do Diogo também foi estudado? Enfim, no melhor pano caiu a nódoa.

A performance portista terá ficado marcada por esse lance já que até ao intervalo a equipa nunca se encontrou, não foi capaz de incomodar o adversário, praticando futebol sem critério, fácil de anular e a perder lances atrás de lances.

O intervalo foi benéfico, pois a equipa apareceu transfigurada para a segunda parte. João Mário já não regressou, dando o seu lugar a Namaso.

A equipa voltou determinada a reverter o resultado, produzindo um futebol mais intenso e agressivo. Galeno teve o golo nos pés e só não marcou porque quiz atirar em souplesse, falhando o alvo (50'). Foi o aviso.

Dois minutos depois Evanilson não perdoou, repondo a igualdade e aos 61 minutos foi Galeno a adiantar o FC Porto no marcador, com um belo remate.

Até final os Dragões controlaram, falharam mais algumas oportunidades, defenderam melhor e acabaram o jogo com a sensação de justiça do resultado, apesar da primeira parte.


terça-feira, 27 de fevereiro de 2024

RANKING GOLEADORES PORTISTAS

 











O regresso à liga portuguesa deixou marcas com a nova cedência de pontos, desta vez em Barcelos, com o empate (1-1) frente ao Gil Vicente.

O golo portista foi alcançado aos 55 minutos, da marca de grande penalidade cobrada por Evanilson que só conseguiu o golo após recarga, já que o primeiro remate contou com a oposição do guardião contrário.


Vigésimo golo de Evanilson nesta temporada (10 no Campeonato, 6 na Taça de Portugal e 4 na Liga dos campeões). Leva de acumulado 55 golos de Dragão ao peito, subindo ao 38º lugar deste ranking, na companhia de Rui Barros (1987/88 e 1994/95 a 1999/00 - 244 jogos)




















domingo, 25 de fevereiro de 2024

CANDIDATO? SÓ SE FÔR DO DESPERDÍCIO

 
















FICHA DO JOGO



























SISTEMA TÁCTICO
























Depois de uma noite europeia gloriosa, o FC Porto regressou ao campeonato tuga e simultaneamente ao registo medíocre que originou nova perda de pontos, a colocar  a candidatura ao título quase impossível de alcançar. 

Com um calendário competitivo tão congestionado, Sérgio Conceição optou por proceder a duas alterações no onze titular, relativamente ao jogo anterior, frente ao Arsenal. Eustaquio e Iván jaime renderam Nico González e Galeno, respectivamente.

























Os Dragões estavam proibidos de desperdiçar mais pontos, mas essa imposição não foi suficiente para que a equipa se apresentasse no Estádio Cidade de Barcelos, com a capacidade suficiente para vencer o encontro. 

Uma primeira parte completamente desinspirada, amorfa e preocupante não augurava nada de bom. Zero remates enquadrados, pouca ligação do jogo ofensivo, muita indecisão na construção e quiçá pouca frescura física, estiveram na base de uma exibição medíocre, ao nível de equipa de escalão inferior.

Melhor na segunda parte, mas ainda assim com lacunas demasiado evidentes, principalmente no remate, com desperdício de alguns bons lances a exigir uma melhor eficácia como também algumas boas chegadas à área contrária, em vantagem numérica, incrivelmente desperdiçadas por má definição do último passe.

Até no golo que começou por dar vantagem no marcador, alcançado aos 55 minutos de grande penalidade, por Evanilson, só entrou na recarga, o que diz bem da desconcentração com que os jogadores portistas abordaram este jogo.

O golo do empate do Gil Vicente (94') surgiu também da desconcentração de Wendell e até de Diogo Costa. Enfim, os azuis e brancos que a meu ver já não eram candidatos ao título, ficam agora ainda mais longe e que se cuidem quanto ao terceiro lugar.

Espero bem que na próxima Quinta-feira, o FC Porto seja capaz de superar o Santa Clara, no resto do tempo que falta disputar do jogo que foi suspenso aos 27 minutos, por falta de condições do terreno de jogo, a contar para a Taça de Portugal.

sexta-feira, 23 de fevereiro de 2024

RANKING GOLEADORES PORTISTAS

 











Wenderson Galeno materializou aos 94 minutos a lição táctica engendrada pela equipa técnica chefiada por Sérgio Conceição, para derrotar a poderosa equipa do Arsenal (1-0).

O ala brasileiro conseguiu o seu quinto golo na prova rainha do futebol europeu e já há quem o chame de "SENHOR CHAMPIONS LEAGUE" e o vejam transformado num jogador predestinado quando ouve o hino da Champions.

O golo merecia o destaque em vídeo, que não é possível postar, por direitos de autor, tão belo foi o remate em arco que fez saltar das bancadas, das cadeiras ou dos sofás todo o verdadeiro e genuíno universo azul e branco.


 





























Foi o 9º golo de Galeno, esta temporada (5 na Champions, 3 no Campeonato e 1 na Taça de Portugal), subindo ao 92º lugar deste ranking,  com 26 golos de Dragão ao peito, agora na companhia de 
 Petrak (1939/40 e 1940/41 - 33 jogos), Ademir (1975/76 a 1977/78 - 68 jogos) e Alex Telles (2016/17 a 2019/20 - 195 jogos).




quinta-feira, 22 de fevereiro de 2024

GOLAÇO DE GALENO DEU RAZÃO À ESTRATÉGIA DE CONCEIÇÃO

 
















FICHA DO JOGO





























SISTEMA TÁCTICO
























O FC Porto venceu o poderoso Arsenal de Londres, num jogo muito táctico, numa demonstração de estudo sério e competente do adversário, cuja planificação foi concretizada quase na perfeição, não permitindo ao adversário oportunidades de golo.

Com Zaidu lesionado, Sérgio Conceição recorreu a Wendell, única alteração no onze titular, relativamente ao jogo anterior frente ao Estrela da Amadora.
























Ciente do poderio do adversário, os Dragões concentraram-se em executar o melhor possível a lição táctica previamente estudada ao pormenor. Pela frente estava o poderoso Arsenal, que trazia um lastro de cinco vitórias consecutivas com um acumulado de 21 golos marcados, nos últimos cinco encontros do seu campeonato nacional.

Estratégia pragmática, perfeita em termos defensivos ao ponto de não permitir qualquer oportunidade de golo à equipa inglesa, não tanto em termos de posse de bola e capacidade para jogar no último terço. A classe dos jogadores portistas exigia uma outra performance para segurar a bola em seu poder e principalmente discernir com outra lucidez as poucas oportunidades de que dispôs para ferir de morte o seu adversário.

Ainda assim, pertenceu ao FC Porto a melhor oportunidade de golo, aos 21 minutos, quando Galeno atirou à barra e na recarga, com a baliza à sua mercê, atirou para fora.

Acabaria por redimir-se antes do apito final do árbitro com um remate espectacular, garantindo uma saborosa e merecida vitória.

Galeno foi considerado o Homem do jogo, Alan Varela ficou com o prémio de Mérito e Valores Porto e Diogo Costa, por não ter sofrido golos, arrecadou o Clean Sheet.

segunda-feira, 19 de fevereiro de 2024

RANKING GOLEADORES PORTISTAS

 











O FC Porto regressou às vitórias, no Dragão frente ao Estrela da Amadora, com dois golos sem resposta, da autoria de Galeno e João Mário.

Estavam a decorrer os 35 minutos da partida quando após uma combinação pela direita entre Francisco Conceição e João Mário, este último numa tentativa de remate que tabelou no defesa Pedro Mendes, proporcionou um cruzamento atrasado providencial para Galeno, que bem posicionado tocou para as redes.


Oitavo golo na temporada para o nº 13 portista (3 no Campeonato nacional, 1 na Taça de Portugal e 4 na Liga dos Campeões) e o 25º de acumulado, pela equipa principal que o guinda ao 96º lugar na companhia de Norman Hall (1922/23 a 1930/31 - 25 jogos), José Carlos (1989/90 a 1995/96 - 102 jogos), Jorge Costa (1992/93 a 2004/05 - 383 jogos) e Clayton (1999/00 a 2002/03 - 117 jogos).































O golo da confirmação da vitória portista aconteceu aos 56 minutos, na sequência de mais uma jogada corrida. Galeno flectiu para o centro, atraindo três adversários, quase em queda assistiu para a entrada de João Mário, que de fora da área encheu o pé rematando cruzado, obtendo um golo de belo efeito.


Segundo golo da temporada para o defesa direito portista (ambos no Campeonato nacional) e o oitavo pela equipa principal dos Dragões. Subida ao 241º lugar deste ranking, na companhia de um pelotão de atletas com a mesma marca.



sábado, 17 de fevereiro de 2024

REGRESSO ÀS VITÓRIAS FRENTE A MAIS UM MURO

 
















FICHA DO JOGO



























SISTEMA TÁCTICO

























O FC Porto regressou às vitórias na recepção ao Estrela da Amadora, um equipa que como tantas outras veio ao Dragão colocar o "autocarro" na sua área, na expectativa de um milagre ou alguma homilia favorável, tão em voga nos jogos  dos Dragões, que desta vez não aconteceu.

Com Fábio Cardoso e Wendell impedidos de dar o seu contributo, por estarem a cumprir castigo, via cartões (vermelho e acumulado de amarelos, respectivamente), Sérgio Conceição lançou a última aquisição, Otávio Ataíde bem como o regressado da selecção do seu país, Zaidu.





























Depois dos últimos dois resultados, empate com o Rio Ave e derrota frente ao Arouca, era importante para os azuis e brancos, voltar às vitórias para insuflar alguma confiança, antes de jogar na Liga dos Campeões.

A vitória aconteceu de forma natural, ainda que sem uma exibição de encher o olho, muito por culpa de um adversário que se fechou num bloco muito baixo (5x4x1), complicando obviamente a vida aos jogadores portistas, muito afoitos a  encontrar as melhores soluções, para levar perigo às redes do Estrela.

Quando se joga contra este tipo de equipas, são muito importantes a criatividade, a rapidez de pensamento e execução e também a eficácia. 

O domínio foi absoluto num jogo de sentido único e felizmente o FC Porto conseguiu concretizar dois golos ( Galeno 35' e João Mário 56'), os suficientes para garantir os três pontos.  

Destaques para João Mário (Homem do jogo), Francisco Conceição (Mérito e Valores Porto) e Diogo Costa (Clean Sheet), pela positiva e para Zaidu que teve de ser substituído por lesão que parece ter sido grave.