terça-feira, 9 de abril de 2024

RANKING GOLEADORES PORTISTAS

 











Na surpreendente derrota do FC Porto, no Dragão, frente ao Vitória SC (1-2), a contar para a 28ª jornada da Liga Portugal Betclic (Campeonato nacional), Wenderson Galeno foi o autor do golo portista, aos 44 minutos.

Triangulação entre Pepê, Damaso e Galeno com este a aparecer na cara do guardião vimaranense e a rematar com êxito.


Décimo quarto golo do ala portista, esta temporada (7 no campeonato nacional, 2 na taça de Portugal e 5 na liga dos campeões). Soma um total de 31 golos, ocupando a 85ª posição do ranking, colando-se a Alberto Costa (1978/79 a 1984/85 - 199 jogos), André (1984/85 a 1994/95 - 382 jogos), Jesús Corona (2015/16 a 2020/21 - 287 jogos) e Otávio (2016/17 a 2023/24 - 283 jogos).




















segunda-feira, 8 de abril de 2024

DE MAL A PIOR

















FICHA DO JOGO



























SISTEMA TÁCTICO

























De mal, frente ao Estoril a pior, frente ao Vitória. O FC Porto não conseguiu evitar a segunda derrota consecutiva na Liga Portugal Betclic, num jogo muito complicado frente a um adversário inteligente na sua estratégia.

O técnico Sérgio Conceição operou 4 alterações no onze titular, duas por opção técnica e as duas restantes por obrigação face aos impedimentos por castigo de Otávio e Evanilson. Regressaram ao onze Diogo Costa e Francisco Conceição, afastados do jogo anterior, frente ao mesmo Vitória, para a Taça de Portugal, bem como Fábio Cardoso e Danny Namaso, estes para o lugar dos castigados e os primeiros em vez de Cláudio Ramos e Gonçalo Borges.

























Quatro dias depois de ter vencido este adversário na cidade verso, para a Taça de Portugal, o FC Porto voltou a sentir sérias dificuldades num jogo muito intenso e emotivo, não pela qualidade do futebol praticado, antes pelos constantes despiques que em alguns momentos se tornaram quezilentos.

A equipa portista está a atravessar uma fase de descontrolo emocional com os seus jogadores visivelmente nervosos, a barafustar todas as jogadas em que se sentem prejudicados, umas vezes com razão e outras nem tanto.

Eu sou dos que considera a arbitragem portuguesa uma farsa, constituída por gente incompetente e desonesta, cujo principal critério é o de prejudicar o FC Porto e beneficiar os dois clubes de Lisboa.

Hoje o apitador de serviço voltou a corroborar esta ideia, quando aos 4 minutos fez vista grossa a uma grande penalidade cometida sobre Galeno, empurrado não por um, mas por dois jogadores vimaranenses. 

Este lance serviu de rastilho para o comportamento impróprio dos jogadores portistas que entraram numa espiral de manifestações contra a arbitragem acabando por prejudicar a concentração, o discernimento e a lucidez, factores que contribuíram para uma série de erros, no controlo da bola, no passe, na definição e na eficácia do remate.

Ao contrário, o Vitória apresentou-se compacto defensivamente, paciente e letal no aproveitamento dos erros portistas. Em três remates à baliza portista conseguiu os dois golos do triunfo e colocar Diogo Costa em sentido.

Galeno ainda reduziu aos 44 minutos, quiçá na melhor jogada dos dragões em todo o jogo.

O segundo tempo foi ainda pior. O FC Porto entrou muito ofensivo mas pouco esclarecido perante um adversário mais preocupado em defender a magra vantagem. O jogo ficou ainda mais confuso, mais despiques e mais desagrado portista com a arbitragem.

Esse desagrado teve consequências nefastas aos 69 minutos com uma atitude irresponsável do capitão Pepe que se excedeu nos protestos, tendo visto por isso o cartão vermelho  e deixado a sua equipa em inferioridade numérica..

A equipa, mesmo assim não deixou de lutar e procurar pelo menos o empate, mas fê-lo mais com o coração do que com a cabeça.

Derrota merecida pela incapacidade de apresentar futebol criterioso e lúcido e por falhar de forma clara nos golos sofridos.

sexta-feira, 5 de abril de 2024

RANKING GOLEADORES PORTISTAS

 











O FC Porto foi a Guimarães buscar uma curta vantagem, vencendo o Vitória por 1-0, na primeira mão das meias-finais da Taça de Portugal. Pepê foi o autor do golo aos 52 minutos.

Passe atrasado de Galeno para Nico Gonzalez que cruzou para a entrada de cabeça de Pepê, com a bola a tabelar no guarda-redes Nuno Varela, incapaz de deter o remate, sofrendo o que na gíria se apelida de frango.


Pepê concretizou o 6º golo da temporada (3 no campeonato nacional, 1 na taça de Portugal, 1 na taça da liga e 1 na liga dos campeões), colocando-se na 128ª posição deste ranking, na companhia de Ângelo Silva (1936/37 e 1937/38 - 11 jogos), Bruno Alves (2005/06 a 2009/10 - 174 jogos), Rolando (2008/09 a 2012/13 - 175 jogos) e Pepe (2004/05 a 2006/07 e desde 2018/19 - 286 jogos).




















quinta-feira, 4 de abril de 2024

DRAGÃO GANHA LIGEIRA VANTAGEM NA 1ª MÃO DAS MEIAS-FINAIS

 















FICHA DO JOGO



























SISTEMA TÁCTICO

























O FC Porto ficou em vantagem na eliminatória das meias-finais da Taça de Portugal ao vencer em Guimarães o Vitória local, deixando no entanto para o jogo no Dragão a decisão final, face ao golo solitário conseguido.

Sem Diogo Costa e Francisco Conceição, expulsos na Amoreira, Sérgio Conceição  foi obrigado a fazer alterações no onze titular. Para além dos dois castigados, também João Mário não fez parte da equipa inicial. Cláudio Ramos, Jorge Sánchez e Gonçalo Borges foram os eleitos.

























Esperava-se um jogo bastante competitivo que se veio a confirmar, ainda que as equipas, especialmente na primeira parte, recorressem a um jogo muito táctico, controlado, cauteloso, em ritmo lento, prejudicando de algum modo o espectáculo.

O FC Porto conseguiu alguma supremacia mas o nervosismo dos seus jogadores, visivelmente afectados pelos acontecimentos no Estoril, retirou algum discernimento em termos ofensivos, já que na defesa os Dragões mostraram-se muito seguros, não permitindo grandes veleidades ao seu categorizado  adversário.

Os destaques da primeira parte vão direitinhos para a arbitragem de Nuno Almeida, mais um a deturpar claramente as leis do jogo e obviamente contra o FC Porto. Logo no primeiro minuto Evanilson foi ostensivamente pisado por Borevkovic sem a respectiva admoestação disciplinar. Já em tempo de compensação Gonçalo Borges foi derrubado pelo guarda-redes Nuno Varela, mas foi considerado movimento natural, como já era de esperar.

No segundo tempo o jogo foi um pouco mais aberto e as oportunidades de golo começaram a aparecer, muito mais junto da baliza dos da casa. 

Pepê, aos 52 minutos conseguiu o golo, num lance em que o guardião vimaranense ficou mal na fotografia, mas acabaria por redimir-se com defesas de grande nível de dificuldade, a evitar males maiores, a remates de Romário Baró e Iván Jaime.

Vitória justa mas escassa do FC Porto. Cláudio Ramos foi distinguido com o prémio Clean Sheet, por não ter sofrido golos e Pepê arrecadou o Mérito e Valores Porto.






domingo, 31 de março de 2024

DRAGÃO IMPREPARADO SOFRE NOVA DERROTA NO ESTORIL

 
















FICHA DO JOGO



























SISTEMA TÁCTICO
























O FC Porto voltou a conhecer o sabor amargo da derrota, mais uma vez contra o Estoril, que se tem revelado uma besta negra para os Dragões, ainda que acolitados por outras bestas que confirmaram o lamaçal em que se encontra a classe dos assopradores de apito português, bem como dos pitosgas que olham para os ecrãs com lentes coloridas, influenciando os resultados dos jogos que lhes convém.

A equipa portista demonstrou hoje claramente que não se encontra preparada para ultrapassar este tipo de adversidades, deixando-se cair numa manifesta desorientação psicológica a ponto de perder a cabeça e a postura. Sei que não é fácil resistir a tanta incompetência, para não lhe chamar perseguição ou outra coisa ainda pior, tanto mais que sangue de Dragão é incomparável a sangue de barata, mas...

No regresso às competições nacionais depois do interregno para as selecções, Sérgio Conceição apostou mais uma vez no onze titular dos últimos jogos, sem qualquer alteração.






























O FC Porto entrou mais ou menos bem no jogo. Bem porque desde logo fez encostar o Estoril no seu último terço do relvado, face à dinâmica ofensiva imprimida, mas mal pela má definição no remate e sobretudo no último passe, a entregar a bola de forma ingénua, por vezes displicente, aproveitada pelo adversário para venenosos contra ataques, que obrigaram Diogo Costa a impor-se na sua baliza. 

Depois dos quinze minutos a equipa azul e branca desperdiçou menos passes mas foi confrangedor no remate à baliza adversária. Dos oito remates só dois foram enquadrados e só um não deu golo por mera infelicidade. Por essa razão a igualdade sem golos ao intervalo, aceitava-se.

No segundo tempo o FC Porto voltou a entrar algo desconcentrado, a voltar a perder bolas e a sofrer contra ataques perigosos que não deram em nada. Depois lá conseguiram acertar os movimentos e a criar perigo na área do Estoril, mas mais uma vez com pouca capacidade para introduzir a bola na baliza.

Eis senão quando, aos 58 minutos, a seita da APAF decidiu demonstrar de forma clara, inequívoca e despudorada ao que vinha. Lance claro de penalti cometido por Mangala sobre Francisco Conceição que o assoprador do assobio assinalou de imediato e largos minutos depois deu o dito por não dito, por influência do pitosga do VAR que o aconselhou a ver as imagens, acompanhadas da prosa do sabichão. Que pena essa lenga lenga não poder ser pública!

Caldo entornado. A equipa portista ficou psicologicamente afectada e até final do jogo foi um acumular de incidências pouco edificantes, de completo descontrolo, dos jogadores, dos técnicos, do assoprador, enfim, uma imagem rasteira do futebol português. 

Esta derrota não influi na luta pelo título, do qual os Dragões já haviam sido afastados com decisões similares, nos jogos com o Boavista, Rio Ave, Gil Vicente e Arouca, mas vai certamente complicar a luta pelo terceiro lugar.

Diogo Costa, Francisco Conceição e Pepê que viram o cartão vermelho (o nº11 já depois do jogo terminado) serão baixas para o próximo jogo da Taça de Portugal.

quinta-feira, 28 de março de 2024

INTERNACIONAIS PORTISTAS

 













Mehdi Taremi (Irão), Jorge Sánchez (México) e Stephen Eustaquio (Canadá), foram mais três atletas do FC Porto que estiveram envolvidos em competições das respectivas selecções nacionais.

O avançado portista disputou os dois jogos  frente à congénere do Turquemenistão, no âmbito do apuramento para o Mundial/2026. Duas vitórias (em casa por 5-0 e fora 1-0). Taremi foi titular em ambos. Foi substituído no primeiro, aos 84 minutos e cumpriu todos os minutos do segundo jogo.

Soma 84 internacionalizações, 39 das quais enquanto atleta do FC Porto.


















































(Clicar nos quadros para ampliar)

O defesa direito Jorge Sánchez foi chamado para disputar a final da CONCAF Nations League A 2023/24, frente aos Estados Unidos. O mexicano cumpriu os 90 minutos do jogo, conhecendo o amargo sabor da derrota (2-0).

Soma 41 internacionalizações, as últimas 5 enquanto atleta do FC Porto.
























Foi com Eustaquio a capitão que o Canadá carimbou o passaporte para a Copa América, ao vencer Trinidad e Tobago por 2-0. O médio portista foi substituído aos 94 minutos.

Soma 35 internacionalizações, 17 das quais enquanto atleta do FC Porto.





















quarta-feira, 27 de março de 2024

INTERNACIONAIS PORTISTAS

 





















O novo seleccionador nacional brasileiro, Dorival Júnior, convocou três atletas do FC Porto para dois jogos de preparação (Inglaterra e Espanha).

Wendell foi o mais utilizado, estreando-se contra a Inglaterra  (vitória por 1-0), tendo sido substituído aos 89 minutos. Foi novamente titular frente à Espanha (empate 3-3), cumprindo todos os minutos do jogo.






















Imagem da selecção do Brasil contra a Inglaterra. Wendell ó o número 6, o 5º na linha de baixo, da esquerda para a direita.

Soma portanto duas internacionalizações, ambas enquanto atleta do FC Porto.























Quem também fez a sua estreia na selecção principal do Brasil foi Galeno. O avançado portista foi apenas utilizado no segundo jogo frente à Espanha, entrando aos 82 minutos.























Pepê não saiu do banco em ambos os jogos, pelo que mantém 1 internacionalização concretizada em 17 de Novembro de 2023.