sexta-feira, 19 de julho de 2019

INTERNACIONAIS PORTISTAS (ESTRANGEIROS)













FELIPE - INTERNACIONAL PORTISTA ESTRANGEIRO Nº 79

Conta com apenas 1 internacionalização pela principal selecção do Brasil, alcançada enquanto atleta do FC Porto.

Começou por ser chamado aos trabalhos da canarinha no dia 26 de Março de 2016 para o jogo contra o Paraguai, a contar para a qualificação do Campeonato do Mundo, mas não chegou a ser utilizado.

A sua estreia aconteceu no dia 11 de Setembro de 2018, no FedEx Field Stadium, em Landover, Estados Unidos, frente a El Salvador, em jogo de preparação que terminou com a goleada brasileira por 5-0.

Felipe foi chamado ao jogo depois do intervalo para fazer toda a segunda parte.






























Atleta do FC Porto desde Julho de 2016, Felipe foi agora transferido para o Atlético de Madrid, pela interessante verba de 20 milhões de euros, depois de 3 temporadas de Dragão ao peito, somando 142 presenças e 11 golos apontados.

quarta-feira, 17 de julho de 2019

RANKING GOLEADORES PORTISTAS - Nº 292














DANIEL - Goleador Nº 292

Apontou 2 golos em 4 jogos oficiais, com a camisola do FC Porto ao longo de duas temporadas ao seu serviço (1963/64 e 1964/65).

Daniel Domingos Lopes, foi um avançado que passou esporadicamente pelo nosso clube e de quem existem apenas alguns vestígios dessa passagem.

























Terá feito a sua estreia no dia 8 de Março de 1964, no Estádio das Antas, frente ao Barreirense, em jogo da 21ª jornada do Campeonato nacional, com vitória portista por 3-0. Foi dele o último golo do encontro, aos 69 minutos.

Foi o único jogo em que foi utilizado, quiçá por lesão ou castigo do habitual titular (?).

A verdade é que só voltaria a ser utilizado na temporada seguinte e em apenas 3 jogos, aproveitando uma dessas oportunidades para fazer mais um golo, mais precisamente no dia 6 de Dezembro de 1964, no Estádio das Antas, frente ao Belenenses, em jogo da 8ª jornada do Campeonato nacional, com vitória portista por 2-0. Daniel foi o autor do 1ª golo, aos 17 minutos.











Lamentavelmente não se conhecem mais pormenores da sua carreira.

Fonte: Almanaque do FC Porto, de Rui Miguel Tovar

segunda-feira, 15 de julho de 2019

EQUIPAMENTOS 2019/20

Mais de 10.000 adeptos presenciaram a gala de apresentação dos novos equipamentos, para a época de 2019/20, realizada no passado Sábado (14 de Julho de 2019), na Praça Gomes Teixeira, junto à Reitoria da Universidade do Porto.

Desta feita e sob o lema "DRAGÕES JUNTOS", desfilaram pela passerelle montada para o efeito,  várias figuras conhecidas do desporto, da moda e da música.

O desfile contou também com a presença dos novos reforços, Saravia, Zé Luís, Nakajima e Luis Díaz, para além dos jovens Romário Baró e Fábio Silva. Do plantel principal desfilaram ainda Diogo Costa, Vaná, Pepe e Alex Telles.

As modalidades também se fizeram representar por António Areia, Victor Iturriza e Yon Belasquez, do Andebol; Poka, do Hóquei em patins; Alexandre Amorim, Ana Rita Faria, Rosa Oliveira e Tiago Soares, da Natação; Daniela Santos e José Soares, do Bilhar; Pedro Ribeiro e Naide Varela, do Boxe. Do Desporto Adaptado estiveram presentes Carla Oliveira, do Boccia; Carlos Pinto, do Ténis de mesa e Renato Silva da Natação.

EQUIPAMENTO PRINCIPAL

Mais uma vez sob os desígnios da NEW BALANCE, o equipamento principal mantém os os traços definidores de uma cultura e tradição de mais de um século, ao mesmo tempo que alia a mais moderna tecnologia da área, a icónica camisola às riscas azuis e brancas presta homenagem à tradição e identidade do FC Porto. Os calções azuis e as meias azuis e brancas, completam o naipe.

















Quanto ao equipamento principal do guarda-redes, segue a mesma linha do equipamento dos restantes jogadores, quanto à tecnologia e comodidade, mas em tom preto "phantom", com detalhes "lemon chrome".


EQUIPAMENTO ALTERNATIVO Nº 1

Inspirado nas cores marcantes do bilhete da final da Taça UEFA 2003 (FC PORTO V CELTC DE GLASGOW), o FC Porto e a New Balance criaram este equipamento em amarelo "lemon chrom", com uma facha azul "snorkel", de um ombro ao outro. 

Os calções da mesma cor, com meia azuis e amarelas completam o equipamento.

É para ser usado preferencialmente nos jogos fora de casa, onde o principal possa criar confusão.


















O equipamento do guarda-redes, segue obviamente a mesma linha do equipamento dos restantes jogadores, quanto à tecnologia e comodidade, mas em tom cinza.


































EQUIPAMENTO ALTERNATIVO Nº 2

Reafirmando a forte identidade do FC Porto, a camisola apresenta motivos alusivos à figura mística do Dragão, símbolo do Clube, envolvido num tom azul, conhecido por "estate blue". Os calções e as meias condizem com os tons da camisola.

















O equipamento dos guarda-redes é um conjunto todo em amarelo "lemon chrom", sem quaisquer outros motivos.

























Vamos lá honrar estas bonitas cores e este prestigiado emblema.


Fontes: Sites oficiais do FC Porto e New Balance

sexta-feira, 12 de julho de 2019

INTERNACIONAIS PORTISTAS (ESTRANGEIROS)













ÉDER MILITÃO - INTERNACIONAL PORTISTA ESTRANGEIRO Nº 78


Soma até à data 5 internacionalizações pela principal selecção nacional do Brasil, todas enquanto jogador do FC Porto.

Jovem muito promissor, tem vindo a evoluir, tendo sido internacional nos Sub-17 e Sub-20, até ter-se estreado pela selecção principal, no dia 11 de Setembro de 2018, em Washington, frente à congénere de El Salvador, em jogo amigável de preparação, com goleada canarinha por 5-0.

























Desde então tem merecido a atenção do seleccionador nacional Tite que o tem incluído no lote das suas opções. Esteve presentemente a disputar a Copa América/2019, tendo sido utilizado no jogo da final, contra o Peru, a partir do minuto 77, jogo em que se sagrou campeão da prova.


Destas 5 internacionalizações, Militão foi titular, utilizado a tempo inteiro nos dois primeiros encontros, e suplente utilizado nos três restantes.

A imagem que se segue, ilustra a titularidade no jogo de estreia, onde o atleta aparece com o nº 22, o terceiro a contar da esquerda para a direita:


























Tite continua a depositar grande confiança nas suas capacidades e mais tarde ou mais cedo acabará por se tornar titular indiscutível.

A sua aquisição pelo Real Madrid, clube que representará a partir desta nova temporada, a troco de 50 milhões de euros, será certamente um factor decisivo para a completa afirmação na canarinha.

Pode recordar as incidências mais significativas da sua carreira clicando aqui.

quarta-feira, 10 de julho de 2019

RANKING GOLEADORES PORTISTAS - Nº 291













LUÍS ROBERTO - Goleador Nº 291

Concretizou 2 golos em 56 jogos oficiais com a camisola do FC Porto, ao longo de três temporadas ao seu serviço (1958/59 a 1960/61).

Luís Roberto Alves da Silva, nasceu no dia 4 de Março de 1934, na cidade de Alegre, Estado do Espírito Santo, Brasil. Fez a sua formação de futebolista em vários clubes: (Botafogo e Sete de Stembro, ambos da cidade de Belo Horizonte, América, de Minas Gerais e Flamengo, do Rio de Janeiro, tendo atingido neste último a categoria de honra.

Chegou ao FC Porto na temporada de 1958/59, para ser orientado pelo seu compatriota Otto Bumbel, treinador que haveria de ser substituído pelo húngaro Bela Guttman, ainda no decorrer da temporada, mais precisamente em Novembro de 1958. Em boa hora já que o seu sucessor logrou terminar o campeonato no 1º lugar, sagrando-se campeão nacional.

























Luís Roberto, atleta possante, de fino recorte técnico, médio de grande valor, impôs-se com classe na equipa principal, tendo-se estreado no dia 21 de Setembro de 1958, no Campo da Estrela, em Évora, frente  ao Lusitano, em jogo a contar para a 2ª jornada do Campeonato nacional, com vitória portista por 2-1.

O médio brasileiro, como já referido, tornou-se rapidamente um dos atletas mais influentes na manobra da equipa, mas não teve uma relação fácil com o golo. A sua missão era muito mais de servir de tampão às investidas adversárias, servir os seus companheiros mais adiantados e manter o equilíbrio na sua área de jurisdição. 

Esta postura granjeou-lhe grande simpatia na massa adepta, transformando-o num ídolo.

Foi campeão nacional logo na sua época de estreia, no tal jogo, em Torres Vedras, em que tiveram de esperar durante longos oito minutos, pelo final do jogo na Luz, onde Inocêncio Calabote, tentava a todo o custo decidir o campeonato a favor do Benfica.

A foto que se segue é da equipa titular mais representativa, Campeã nacional 1958/59:


























Luís Roberto marcou apenas dois golos, de azul e branco vestido. O primeiro aconteceu no dia 15 de Fevereiro de 1959, no Estádio das Antas, frente ao SC Covilhã, em jogo da 21ª jornada do Campeonato nacional, com vitória portista por 5-2. O médio brasileiro foi o autor do 3º golo da partida, aos 23 minutos, colocando o marcador em 3-0.

O seu segundo e último golo pelo FC Porto, aconteceu na temporada seguinte, mais precisamente no dia 3 de Abril de 1960, no Estádio das Antas, frente ao Benfica, em jogo da 23ª jornada do Campeonato nacional, que terminou com um empate a dois golos. Luís Roberto foi o autor do primeiro golo portista, aos 86 minutos, dando inicio a uma recuperação portista que conseguiu evitar a derrota mesmo em cima do minuto 90.

Luís Roberto foi forçado a terminar a carreira prematuramente, devido a uma grave lesão da qual nunca mais conseguiu recuperar. Foi alvo de manifestações de solidariedade, com jogo de despedida e jantar de homenagem.












Terminada de forma abrupta a carreira, Luís Roberto regressou à sua terra natal para se dedicar a outra actividade profissional.

Palmarés ao serviço do FC Porto (1 título):

1 Campeonato nacional (1958/59)

Fonte: Almanaque do FC Porto, de Rui Miguel Tovar.

sexta-feira, 5 de julho de 2019

INTERNACIONAIS PORTISTAS (PORTUGUESES)













SÉRGIO OLIVEIRA - INTERNACIONAL PORTISTA PORTUGUÊS Nº 118

Conta até ao momento com 3 internacionalizações pela principal selecção portuguesa, todas enquanto jogador do FC Porto.

Depois de ter passado pelas selecções de formação em todos os escalões, somando 80 internacionalizações (2 Sub-16, 15 Sub-17, 4 Sub-18, 13 Sub-19, 20 Sub-20, 23 Sub-21 e 3 Olímpico), Sérgio Oliveira estreou-se na Selecção A, no dia 6 de Setembro de 2018, no Estádio do Algarve, em Loulé, frente à Croácia, em jogo de preparação, que terminou com um empate a um golo. O médio portista foi chamado pelo seleccionador nacional Fernando Santos, depois de desempenhos muito prometedores no FC Porto, mas começou este jogo no banco de suplentes de onde só saiu aos 81 minutos.

























Voltou a ser utilizado em apenas 4 minutos, do jogo Portugal-Itália, disputado no Estádio da Luz, em Lisboa, no dia 10 de Setembro de 2018, jogo a contar para a 1ª jornada, do grupo 3 -Liga A, da UEFA National League, com vitória portuguesa, por 1-0.

A sua última aparição na principal selecção de Portugal, aconteceu no já longínquo dia 14 de Outubro de 2018, no Hampden Park, em Glasgow, frente à Escócia. Sérgio Oliveira foi titular substituído aos 56 minutos. Portugal venceu por 3-1, neste jogo de preparação. É desse jogo a imagem que se segue:



Sérgio Oliveira foi campeão nacional pelo FC Porto, depois de uma temporada brilhante, pelo que se esperava um rendimento semelhante na época seguinte (2018/19). Porém, não foi o que aconteceu. O treinador Sérgio Conceição entendeu que o médio portista começava a perder espaço na equipa, principalmente porque Danilo Pereira, recuperado totalmente da grave lesão que sofrera e o afastara por alguns meses, lhe tirava o protagonismo e a oportunidade de jogar regularmente, decidindo-se pelo seu empréstimo aos gregos do Paok, onde pode jogar e manter-se ao nível a que nos habituou, sem no entanto despertar novo interesse do seleccionador nacional.

Terminada a época na Grécia e sem que o Paok exercesse a clausula de aquisição, no valor de 12 milhões de euros, Sérgio Oliveira começou já a pré-temporada no Olival, e tudo leva a crer que voltará a ter uma grande oportunidade de ganhar a titularidade, já que Herrera abriu caminho com a sua saída. A ver vamos.

Poderá recordar a sua biografia com as principais incidências da sua carreira clicando aqui.

quarta-feira, 3 de julho de 2019

RANKING GOLEADORES PORTISTAS - Nº 290














PORCEL - Goleador Nº 290

Apontou 2 golos em 36 jogos oficiais, com a camisola do FC Porto, durante duas temporadas ao seu serviço (1953/54 e 1954/55).

António José Porcel, nasceu no dia 13 de Junho de 1925, na Argentina. Não são muitas as informações sobre esta atleta. O que consegui apurar é que Porcel terá iniciado a sua carreira de futebolista no FC Huracan, tendo passado pelas equipas mexicanas do Léon e FC Puebla, ingressando seguidamente no SC Covilhã (1951/52), ajudando a equipa da serra a atingir o 6º lugar no Campeonato nacional. Seguiu depois para França, representando o Metz (1952/53), para finalmente chegar ao FC Porto, sob o comando técnico de Cândido de Oliveira.
























A sua estreia oficial com a camisola do FC Porto aconteceu no dia 18 de Outubro de 1953, no Campo da Estrela, em Évora, frente ao Lusitano dessa cidade, em jogo a contar para a 3ª jornada do Campeonato nacional, com derrota por 2-0.

Apesar de ser um atleta de classe e um exímio executante, actuando como  interior direito, Porcel não teve uma relação estreita com o golo. Apontou apenas dois golos, um em cada uma das épocas em que jogou de azul e branco.

O primeiro foi obtido no dia 9 de Maio de 1954, no Estádio nacional, em Oeiras, frente ao Benfica, em jogo da 25ª jornada do Campeonato nacional, que terminou com um empate a dois golos. Porcel abriu o marcador aos 44 minutos.

O segundo e último golo, aconteceu no dia 24 de Abril de 1955, no Campo José Santos Pinto, na Covilhã, frente ao Sporting local, em jogo da 26ª e última jornada do Campeonato nacional, que terminou com um empate a dois golos. O avançado argentino abriu também neste jogo o marcador, aos 8 minutos.

Segue-se uma das fotos possíveis de Porcel na equipa do FC Porto, esta da temporada de 1953/54:

























Com a entrada do treinador brasileiro Dorival Yustrich, na temporada de 1955/56, conhecido por Homão pela sua estatura e feitio irascível (não gostava, entre outras coisas, de jogadores com cabelo comprido, de fumadores e especialmente que discutissem os seus métodos de trabalho), Porcel foi um dos vários atletas dispensados.

Representou ainda o Salgueiros e os espanhóis do Real Avilés.

Fontes: Almanaque do FC Porto de Rui Miguel Tovar e Zeroazero.pt