domingo, 22 de maio de 2022

DRAGÕES ENCERRAM TEMPORADA COM DOBRADINHA

 


















FICHA DO JOGO






























SISTEMA TÁCTICO
























O FC Porto confirmou o favoritismo que recaía sobre si, vencendo de forma clara e inequívoca o Tondela, equipa que acabou a época a baixar de escalão.

O onze titular portista apresentou apenas a alteração tradicional do guarda-redes (Marchesín em vez de Cláudio Ramos), relativamente ao jogo anterior, frente ao Estoril.






















Os Dragões não deram hipóteses ao Tondela que acalentavam ténues esperanças de contrariar o favoritismo natural da equipa portuense, para fazerem história.

Os recentes campeões nacionais entraram no jogo cientes da sua superioridade, obrigando o adversário a dedicar-se exclusivamente às tarefas defensivas, baixando muito o seu bloco.

Não foi fácil derrubar o muro, tanto mais que os azuis e brancos iam mantendo um ritmo brando, com muita posse, muita troca de bola, mas sem grandes oportunidades de marcar, ainda que aos 7 minutos Pepê tenha sido derrubado à margem das leis, por Sagnan sem que árbitro e VAR tenham assinalado a infracção. 

Oito minutos depois, o árbitro Rui Costa preparava-se para voltar a ignorar falta grosseira dentro da grande área (mão na bola clara de Marcelo Alves, numa disputa com Otávio), preparando-se para assinalar canto contra o Tondela. O VAR chamou à atenção para o lance que acabou por ser visionado pelo árbitro. Após longa análise, lá se decidiu pela marcação da respectiva grande penalidade. Mehdi Taremi, na linha dos onze metros não perdoou (22').

Até ao intervalo, o FC Porto voltou a criar perigo com Evanilson a desperdiçar por pouco, já em tempo de desconto.

Na etapa complementar a equipa portista entrou mais objectiva e perigosa, mas também algo perdulária. Pepê, aos 48 minutos teve a baliza à sua mercê e fez o mais difícil atirando contra o corpo do guarda-redes.

O dilatar da vantagem chegaria no entanto aos 52 minutos por Vitinha, a concluir uma bela jogada ofensiva. 

A maior clarividência portista originou nova grande penalidade, desta vez prontamente assinalada por Rui Costa a castigar nova falta de Sagnan sobre Pepê, só que Taremi não aproveitou atirando ao poste.

O Tondela reagiu bem a este falhanço e aos 73 minutos reduziu no único remate à baliza portista, numa falha defensiva, fazendo renascer as esperanças nas hostes da equipa beirã.

Quem não foi na cantiga foi Taremi que na resposta voltou a repor a diferença no marcador com um belo remate, completamente indefensável.

Vitória clara e justa que carimba a 18ª Taça de Portugal  e a 9ª dobradinha da história portista.

quarta-feira, 18 de maio de 2022

RANKING GOLEADORES PORTISTAS

Foi com um remate certeiro de Fernando Andrade, dois minutos depois de ter entrado em campo pela primeira vez esta temporada, que o FC Porto fechou o resultado final (2-0), frente ao Estoril, na derradeira jornada do Campeonato nacional vulgo Liga Portugal Bwin 2021/22.

Recordamos que apesar das boas prestações deste atleta durante a pré-temporada, o empréstimo ao clube da Arábia Saudita, o Al-Fayha, tornou-se inevitável face ao número de atletas com quem Sérgio Conceição queria trabalhar.

Fernando Andrade aceitou com desportivismo as opções do treinador, nunca se desligando da evolução da equipa durante a temporada, acabando por regressar extemporariamente devido a uma grave lesão que pretendeu debelar aos cuidados do departamento médico dos Dragões, em quem confiou plenamente.

Recuperou, desligou-se do clube árabe e foi integrado no plantel portista. O avançado brasileiro tinha já manifestado o seu desejo de ser campeão nacional nem que para isso jogasse apenas 30 segundos.

Pois bem, o técnico Sérgio Conceição foi sensível e no jogo de consagração chamou-o ao jogo no minuto 86. 

Recuperação da bola a meio campo, bola metida em Fábio Vieira, progressão com bola até próximo da meia lua, passe para a esquerda a solicitar a entrada de Fernando Andrade que na passada rematou de pé direito fazendo o segundo golo portista. Foi chegar, ver e vencer.

O que se passou a seguir foi simplesmente emocionante. Lágrimas, abraços e agradecimentos sentidos do atleta para com a equipa técnica e os seus companheiros. Lindo.

Foi obviamente o primeiro golo da temporada e o terceiro de Dragão ao peito, ele que se tinha estreado a marcar na temporada de 2018/19, todos para o Campeonato nacional. Ocupa agora a 296ª posição deste ranking, na companhia de um largo pelotão com o mesmo número de golos.



















Clicar no quadro para ampliar.

domingo, 15 de maio de 2022

CONCLUSÃO DE UM CAMPEONATO COM SUPERIORIDADE ARRASADORA

 
















FICHA DO JOGO































SISTEMA TÁCTICO
























O FC Porto concluiu o campeonato nacional com mais uma vitória, agora frente ao Estoril, batendo o recorde de pontos conquistados (91), a que somou a maior série de jogos sem derrotas (58). A par disso, registou o melhor ataque (86 golos marcados) e a melhor defesa (22 golos sofridos).

Consagrou 33 atletas, no jogo de hoje os 4 do plantel actual que ainda não tinham sido utilizados.

Sérgio Conceição quis muito encerrar a prova com mais um triunfo e por isso fez apenas uma alteração no onze titular, relativamente ao jogo anterior, com a troca de guarda-redes. Cláudio Ramos em vez de Diogo Costa.
























Já com o título garantido, os Dragões entraram no jogo a dominar, obrigando o seu adversário a acantonar-se no seu reduto defensivo, do qual só a espaços conseguiu sair. Foi um domínio quase total, embora sem oportunidades para inaugurar o marcador, muito à conta de um ritmo baixo que permitiu ao adversário, bem organizado defensivamente, ir anulando as tentativas portistas, muito rendilhadas e nada eficazes. O nulo ao intervalo foi por isso o resultado que melhor traduziu o desempenho até então.

Obviamente que o técnico portista não estava satisfeito e durante o intervalo terá certamente manifestado esse descontentamento e apontado o caminho para chegar ao golo.

A verdade é que a equipa apareceu transfigurada e em apenas 3 minutos construiu a jogada que lhe garantiu o golo de abertura. Cruzamento de Zaidu, na esquerda, que se destinava a Evanilson, mas o capitão do Estoril Joãozinho apareceu em desespero a tentar cortar, mas mais não fez do que introduzir a bola na própria baliza.

As oportunidades sucederam-se, a bola beijou os ferros por duas ocasiões e o golo da confirmação acabaria por chegar ao minuto 88, já depois de quase todas as substituições efectuadas. Pertenceu a Fernando Andrade que tinha saído do banco, dois minutos antes.

Vitória incontestável num jogo de duas faces.


No final a linda festa da entrega do troféu.



terça-feira, 10 de maio de 2022

RANKING GOLEADORES PORTISTAS

A rubrica de hoje começa com a feliz descrição da jogada do golo de Zaidu, da autoria de Diogo Faria no Dragões Diário de Domingo passado, que passo a transcrever:

"Estádio da Luz, Lisboa.
7 de abril de 2022, 19h54.
94 minutos de jogo. Zero zero.

Canto para o Benfica. Renova-se a esperança dos que sonham travar o que já sabem ser inevitável.

Grimaldo coloca a bola na área, mas a partir desse momento só jogadores do FC Porto lhe tocam. Acontece tudo em 14 segundos: Pepe corta-a de cabeça, Pepê recebe-a, condu-la de uma ponta à outra do campo e serve Zaidu, que, sobre a marca de penálti, a remata de primeira e fá-la entrar junto ao ângulo superior da baliza de Vlachodimos."


Terceiro golo de Zaidu na temporada, todos na Liga Portugal Bwin e o 5º de Dragão ao peito, que o coloca na 235ª posição deste ranking, na companhia de um largo lote de atletas com o mesmo número de golos.




















Clicar no quadro para ampliar.

domingo, 8 de maio de 2022

SALÃO DE FESTAS DO DRAGÃO SEMPRE FIEL PARA AS COMEMORAÇÕES

 
















FICHA DO JOGO




























SISTEMA TÁCTICO
























O estádio da Luz em Lisboa voltou a ser o palco privilegiado das comemorações do título dos Dragões, esta temporada, com mais uma vitória que selou definitivamente a conquista da Liga Portugal Bwin 2021/22, a uma jornada do fim, contra ventos e marés, velhos do Restelo e personagens dos marretas, que durante a semana, andaram a incentivar toda a estrutura das papoilas no sentido de evitarem mais esta humilhação.

Era grande a expectativa relativamente a este encontro (ainda havia quem sonhasse em milagres) e Sérgio Conceição não facilitou promovendo apenas uma alteração no onze titular, relativamente ao jogo anterior. João Mário regressou à lateral, fazendo adiantar Pepê, remetendo para o banco Fábio Vieira.
























Num clássico marcado pelas cautelas tácticas, tentativas de controlo da partida e do resultado, foi o FC Porto que conseguiu criar as jogadas ofensivas mais perigosas da primeira parte, com destaque para Mehdi Tremi e Evanilson a não serem capazes de finalizar da melhor maneira, enquanto a equipa da casa, com mais posse de bola nunca foi capaz de pôr à prova o último reduto portista.

O início da segunda parte prometia um futebol mais espectacular e emocionante, com Evanilson a alvejar a baliza contrária, obrigando o guardião benfiquista a uma defesa de grande dificuldade. Na resposta a bola chegou a beijar as malhas de Diogo Costa, mas o VAR repôs a verdade desportiva invalidando o golo por fora de jogo.

A equipa da casa entrou então em paranoia, a disputar quase todos os lances, com excessiva rispidez, umas vezes bem avaliadas disciplinarmente pelo Juiz da partida, outras nem tanto, mas ainda assim distribuindo 10 cartões amarelos para os da casa contra 4 portistas, ficando por mostrar mais alguns que dariam lugar a expulsões.

Aos 85 minutos Vitinha quase fazia o golo com um potente remate fora da área. O empate sem golos parecia ser o destino do resultado, mas ao quarto minuto do tempo de descontos, Pepe tirou a bola da sua área, na sequência de um canto, sobrando a bola para Pepê. O número 11 portista, aproveitando o adiantamento da turma da casa, galgou terreno de área a área, assistindo no momento certo para a entrada de Zaidu que o acompanhara nessa correria. O nigeriano deixou a bola bater na relva e livre de adversários disparou de pé esquerdo, batendo sem apelo nem agravo o guarda-redes benfiquista, fazendo vibrar em uníssono a ardente voz de todos nós, por todo o país.

Estava assim garantido o 30º titulo de campeão nacional, na casa do rival, tal como em 2011.

Parabéns a todos os atletas e a todas as estruturas, pelo seu dedicado empenho no cumprimento deste objectivo.

Zaidu e Marko Grujic recolheram os prémios.



















 

segunda-feira, 2 de maio de 2022

RANKING GOLEADORES PORTISTAS

Foram 4 os golos do FC Porto frente ao Vizela, no encontro da antepenúltima jornada da Liga Portugal Bwin. Evanilson, Mehdi Taremi, em dose dupla e Mbemba foram os três protagonistas na construção deste importante resultado.

Fruto da pressão alta em que os Dragões são particularmente fortes, Evanilson importunou o guarda-redes Pedro Silva que pretendia repor a bola para os seus colegas, foi astuto, ganhou o confronto e com a classe e frieza que o caracteriza, enviou a bola para o fundo das malhas, inaugurando o marcador aos 21 minutos.


O jovem avançado brasileiro alcançou o 21º golo da temporada (14 Campeonato Nacional e 7 na Taça de Portugal), somando agora 25 golos de Dragão ao peito, pela equipa principal, subindo ao 92º lugar deste ranking, na companhia de Norman Hall (1922/23 a 1930/31 - 25 jogos), José Carlos (1989/90 a 1995/96 - 102 jogos, Jorge Costa (1992/93 a 2004/05 - 383 jogos) e Clayton (1999/2000 a 2002/03 - 117 jogos).



























Mehdi Taremi continua de pé quente e foi o autor do 2º e do 4º golos portistas. Aos 28 minutos, de grande penalidade a castigar falta sobre Marko Grujic. Remate clássico com a bola a dirigir-se para um lado e o guarda-redes para o contrário.


Bisou à passagem do minuto 87, estabelecendo o resultado final (4-2). Francisco Conceição invadiu a área pelo lado direito, evitou um adversário e na passada tentou o remate que apanhou no caminho Taremi a desviar para a baliza. Pedro Silva ainda foi capaz de defender, mas na recarga, num remate de raquete o iraniano não perdoou.


Foi o 24º golo da temporada (20 no Campeonato, 1 na Taça de Portugal, 1 na Taça da Liga, 1 na Liga dos Campeões e 1 na Liga Europa), agora com um acumulado de 47 golos que o cola isolado no 50º lugar do ranking dos goleadores portistas.


Depois de ter sido infeliz no lance do golo do empate do Vizela (2-2), com a bola a bater-lhe no corpo e a sofrer um desvio caprichoso, enganando Diogo Costa, Mbemba redimiu-se com a obtenção do 3º golo portista, restabelecendo a vantagem no marcador aos 57 minutos. Pepê cruzou com peso, conta e medida e o central congolês apareceu de rompante à entrada da área a rematar forte e colocado, sem hipóteses para o guardião contrário.


Segundo golo da temporada, ambos no Campeonato, com um acumulado de 9, com a camisola do FC Porto, que o coloca na 182ª posição, na companhia de Montaño (1959/60 e 1960/61 - 24 jogos), Carlos Baptista (1962/63 a 1966/67 - 37 jogos), Naftal (1963/64 a 1965/66 - 18 jogos), Bandeirinha (1981/82 a 1995/96 - 170 jogos), Esquerdinha (1998/99 a 2000/01 - 87 jogos), Belluschi (2009/10 a 2011/12 - 113 jogos) e Diogo Jota (2016/17 - 38 jogos).









































Clicar nos quadros para ampliar.