segunda-feira, 19 de abril de 2021

GARANTIR OS TRÊS PONTOS COM BOA DOSE DE FELICIDADE

 
















FICHA DO JOGO




























SISTEMA TÁCTICO
























O FC Porto voltou da Madeira com mais 3 pontos no bornal, ao vencer o Nacional pelo magro resultado de 1 golo sem resposta, permitindo-lhe manter o atraso pontual de 6 pontos para o líder, mas alargando a distância para o seu mais directo perseguidor de outros tantos pontos, tirando partido da sua derrota.

Relativamente ao jogo anterior, frente ao Chelsea, Sérgio Conceição promoveu as entradas de Luis Díaz e de Mehdi Taremi para o onze inicial, prescindindo de Otávio, por incapacidade física e de Marega, por opção técnica.






















As saídas à Madeiras são sempre deslocações de alto risco para os Dragões, que costumam encontrar bastantes dificuldades, qualquer que seja o adversário. Ora nesta fase da temporada e face ao atraso pontual que os separa da liderança da prova, o mais importante era garantir os três pontos e isso, os azuis e brancos lograram concretizar.

Quanto ao futebol praticado, isso serão contas de outro rosário. A equipa entrou mal no jogo e logo aos 4 minutos sofreu um penalti cometido, ainda que involuntariamente (escorregadela no terreno molhado que motivou a falta merecedora do castigo máximo) de Zaidu.

Valeu a competência e astúcia de Marchesín para que as suas redes não fossem violadas, efectuando uma esplêndida defesa.

Mas o mote estava lançado. A equipa portista patenteava grandes dificuldades para assentar o seu jogo, perante um adversário bem organizado defensivamente e algo consistente na saída para o ataque, ainda que em termos de remate deixasse muito a desejar.

A equipa portista manifestou um evidente desgaste físico e até psicológico, face a um calendário bastante intenso e exigente, a que se somaram viagens sucessivas, falta de tempo para descanso, recuperação e preparação cuidada dos jogos.  

A exibição cinzenta da maioria dos seus jogadores foi o tónico durante a maior parte deste jogo, cujas únicas excepções foram o golo que aos 20 minutos coloriu o resultado final, resultante de uma pressão exercida por Taremi sobre o guarda-redes contrário, obrigando-o a errar, para no desenrolar da jogada, o avançado portista conseguir o remate vitorioso.

O mesmo Taremi votaria a estar em evidência nos descontos da primeira parte (46'), ao rematar rente ao poste, na sequência de uma boa incursão e assistência de Grujic.

No segundo tempo, a equipa da casa foi ainda mais ambiciosa, obrigando o FC Porto a defender em largos períodos, mas acabou traída pela manifesta falta de eficácia, por um lado e pela organização defensiva portista, por outro.

Vitória feliz e importante para manter os principais objectivos na mira.

Sem comentários:

Publicar um comentário