quarta-feira, 13 de novembro de 2019

RANKING GOLEADORES PORTISTAS













BOBÓ - Goleador Nº 306

Apontou 2 golos em 10 participações oficiais com a camisola da equipa principal do FC Porto, ao longo de 2 temporadas ao seu serviço (1981/82 e 1983/84).

Mamadou Bobó Djaló, nasceu no dia 9 de Fevereiro de 1963 em Chacungo, na Guiné-Bissau ( na altura ainda colónia portuguesa). 

O FC Porto tinha uma filial na cidade e o jovem sonhava ser futebolista e vestir de azul e branco, pisando o relvado do Estádio das Antas. Foi nessa perspectiva que decidiu tentar a sua sorte, mas acabou rejeitado e triste, ingressando nos escalões jovens do Vilanovense.

Contudo, um ano depois foi chamado para fazer parte do plantel de juniores do FC Porto, sagrando-se campeão nacional da categoria.

Na temporada de 1981/82, sob a orientação técnica do austríaco Hermann Stessl, ainda chegou a fazer parte do plantel principal, mas com uma utilização quase residual.

























A sua estreia oficial com a camisola da principal equipa portista aconteceu no dia 3 de Janeiro de 1982, no Estádio das Antas, frente ao Boavista, em jogo da 14º jornada do Campeonato nacional, com vitória azul e branca por 2-1. Bobó saiu do banco de suplentes aos 63 minutos para render João Pinto.

Voltaria a ser convocado mais duas vezes durante toda a época, uma como suplente não utilizado e outra para jogar os últimos 21 minutos.

Segue-se uma imagem do plantel dessa temporada, do qual Bobó fez parte:






















A sua fraca utilização determinou a sua saída, por empréstimo, ao Águeda da II Divisão, para poder jogar com regularidade e evoluir como atleta.

Bobó era um médio defensivo incansável, muito combativo, duro e trabalhador, a que juntava uma boa dose de técnica individual. Essas qualidades foram reconhecidas pelo «mestre» José Maria Pedroto que o fez regressar para fazer parte do plantel portista de 1983/84.

Apesar de ter sido um médio pouco talhado para o golo, Bobó estreou-se a marcar, de Dragão ao peito, no dia 4 de Dezembro de 1983, no Estádio Municipal 25 de Abril, em Penafiel, frente ao FC Penafiel, em jogo da 10ª jornada do Campeonato nacional, garantindo a vitória tangencial por 1-0, aos 61 minutos. 


O seu segundo e último golo ao serviço do FC Porto seria também importante porque, tal como o primeiro, garantiu a vitória tangencial por 1-0, frente ao SC Espinho, em jogo realizado no dia 19 de Fevereiro de 1984, no estádio Comendador Manuel Oliveira Violas, em Espinho, a contar para a 18ª jornada do Campeonato nacional.

Nessa temporada esteve em 12 convocatórias, 1 como titular a tempo inteiro, 2 como titular substituído, 5 como suplente utilizado e 4 como suplente não utilizado.










No Verão de 1984 o FC Porto negociou a compra ao Varzim do médio André e Bobó serviu de moeda de troca, por empréstimo.

Na equipa poveira pode finalmente actuar com regularidade, demonstrando as suas reais capacidades, mas não o suficiente para merecer o regresso, já que voltou a ser moeda de troca, ainda por empréstimo, desta vez para a aquisição de Laureta ao Vitória de Guimarães (1985/86).

Apesar de uma época magnífica nos minhotos, Bobó acabaria por perder a oportunidade de voltar a vestir de azul e branco, face aos regressos de Jaime Pacheco e Sousa.

Completamente desvinculado do FC Porto, Bobó escolheu o Marítimo (1986/87 e 1987/88), passando depois pelo Estrela da Amadora (1988/89 e 1989/90), pelo Boavista (1990/91 a 1995/96), terminando a sua carreira no Gondomar SC (1996/97 e 1998/989).

Palmarés ao serviço do FC Porto (2 títulos):

1 Taça de Portugal (1983/84)
1 Supertaça Cândido de Oliveira (1982/83)

Fontes: Almanaque do FC Porto, de Rui Miguel Tovar e Zeroazero.pt

Sem comentários:

Publicar um comentário