segunda-feira, 18 de abril de 2011

15ª VITÓRIA CONSECUTIVA

FICHA DO JOGO
(Clicar no quadro para ampliar)
O FC Porto continua a perseguir o segundo objectivo do Campeonato, a invencibilidade, até agora com êxito, uma vez que conseguiu nova vitória, frente ao Sporting, de forma justa e categórica, ainda que o resultado tenha sido tangencial.

A isso se deve especialmente a magnífica exibição de Rui Patrício, o principal obstáculo para que o resultado fosse mais desnivelado. O guardião leonino manteve um interessante duelo com Falcao, negando-lhe mais alguns golos. Foram aliás, os melhores homens em campo.

O FC Porto começou a perder, com um golo muito fortuito, de André Santos beneficiando de um desvio em Matías Fernández, que tirou Helton do lance. Os Dragões não desanimaram e partiram com convicção à procura do empate. Desperdiçaram três ou quatro boas ocasiões para alterar o resultado, porque Patrício em dia sim e o poste retardaram o inevitável. Falcao haveria de empatar num belo golpe de cabeça. O empate ao intervalo era absolutamente lisonjeiro para os Sportinguistas.
Veio o segundo tempo e a exibição portista fazia adivinhar o que se seguiria. Um autêntico assalto à baliza contrária, no sentido de garantir a 15ª vitória consecutiva e a manutenção da invencibilidade. Falcao e Walter, que entretanto rendera o colombiano, davam uma expressão mais justa ao marcador com dois golos que definem a classe dos seus autores.

O desafio parecia ter conhecido, nessa altura o seu epílogo, mas o Sporting, tirando partido de alguma desconcentração provocada pelos festejos do terceiro golo, voltou ao jogo de imediato com o segundo golo muito consentido.

Os Dragões voltaram a carregar no acelerador e criaram mais um conjunto de boas oportunidades que o guardião leonino foi resolvendo.

Houve ainda uma jogada na área dos azuis e brancos, polémica, porque o árbitro entendeu e bem, que Rolando não colocou a mão na bola intencionalmente. Artur Soares Dias, bem perto do lance viu o defesa portista escorregar e no movimento da queda tocar com a mão na bola sem qualquer intenção.

Claro que a mentalidade de calimero vai fazer correr muita tinta.

No final, vitória mais que justa, pecando por escasso numa exibição muito agradável., perante 47.109 espectadores.

Destaque para Falcao, para mim o melhor portista em campo.

5 comentários:

  1. Até começamos a perder, fruto de uma má abordagem a um lance que estava controlado e sem que a equipa sportinguista fizesse qualquer coisa para merecer a vantagem. Mas não acusamos o toque e rapidamente arrepiamos caminho, fomos para cima deles, não os deixamos levantar a cabeça e só não empatamos, primeiro porque foi uma espécie de tiro ao boneco, depois, porque quando não batia no boneco, batia no post. Mas quem porfia sempre alcança e quem tem Radamel Falcao marca golos. Empatamos e quando chegou o intervalo, por tudo que se passou, o resultado era muito lisonjeiro para a equipa leonina.


    Na segunda metade, novamente clara superioridade e domínio do F.C.Porto, que chegou merecidamente à vantagem, novamente por Falcao e apenas não dilatou a contagem porque S.Patrício continuou a fazer milagres. Estava o jogo assim, o terceiro ameaçava, quando Helton se lesionou e demorou vários minutos a recuperar. Com a paragem, cerca de oito minutos, a equipa de André Villas-Boas perdeu concentração e o Sporting foi tentando equilibrar, tornou-se mais perigoso, mas sem nunca ser tão ameaçador como o Campeão 2010/2011. Com o terceiro golo, por Walter - gostei do brasileiro. Acho que se tiver juízo e vontade, vai chegar lá... -, parecia tudo resolvido, mas novamente, na euforia que se seguiu ao golo, voltamos a facilitar e o Sporting reduziu, acreditou e acabamos o jogo com algum, muito pouco, sofrimento, que, pela forma como o jogo se desenrolou, não mereciamos.
    Resumindo: vitória clara e justíssima do F.C.Porto, que teve mais domínio, jogou muito melhor, nas oportunidades goleou, como goleou nos cantos, oito a zero.

    Fazer uma análise a um jogo em que houve esta superioridade de uma equipa em relação à outra, baseando a análise num pretenso erro do árbitro, de uma ou outra falta mal assinalada, ou porque o banco devia estar noutro lado, é tapar um sol com a peneira e não ajuda o Sporting. E não ajuda, porque desresponsabiliza os profissionais e ninguém consegue ter sucesso, se quem joga não sentir a exigência de quem dirige. O F.C.Porto é um grande exemplo, mas e infelizmente, é um pequeno oásis no meio de um imenso deserto de lamúrias.
    Meus amigos, jogamos na Rússia na quinta-feira, com tudo o que isso implicou e que dei conta no post de antevisão do jogo, mas apesar disso, hoje demos uma lição de querer, de raça, de competência, qualidade e, principlamente, profissionalismo. 25 vitórias e 2 empates, segundo jogo ultrapassado e faltam apenas três para fazermos história. Quem tem gente feita desta massa, pode confiar.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  2. Bom dia,

    Ontem a nossa equipa rubricou mais uma exibição segura e com atitude vencedora, levando de vencida um Sporting muito fraquinho que só teve uma oportunidade clara de golo na cabeça de Djaló aos 37 minutos da 1ª. parte, e uma meia oportunidade por Valdés, bem anulada por Sereno (num sprint impressionante) aos 55 minutos da 2ª. parte.

    Marcaram aos 10 minutos num remate frouxo de André Santos, que tabelou antes de entrar, traindo Helton.

    A partir daí foi um encostar do Sporting às cordas, com várias oportunidades de golo criadas, e só não carimbamos uma goleada na 1º. parte, graças à excelente exibição de Rui Patrício.

    Na segunda parte foi mais do mesmo, e o Porto só esfriou o ataque após a lesão de Helton.

    Couceiro e Carlos Freitas, estragaram tudo no final do jogo, ao alegarem que o Sporting foi prejudicado, e com a ideia de trocar os bancos etc.

    Não existe penalti de Rolando, o mesmo já tinha cortado a bola, não tinha nenhum jogador adversário nas imediações, a bola não ia para a baliza, apenas e simplesmente escorregou, e felizmente porque não é maneta, a bola fez-lhe volei do relvado para a mão.

    Quanto ao dizer que não houve falta sobre Helton na sua lesão, têm razão. Mas não sei se o árbitro apitou por falta, ou para ser prestada assistência a Helton, uma vez que nem assinalado pontapé de canto.

    Destaques para Falcao que foi o melhor em campo.
    Alvaro Pereira que fez um excelente jogo.
    O triângulo de meio campo esteve bem.
    Rolando e Maicon um pouco trapalhões.
    Sereno esteve bem sem comprometer. Varela esteve trapalhão.
    Beto entrou bem.
    Walter ... é um grande ponta de lança, oportuno. O staff do clube tem de continuar o trabalho psicológico para recuperar um menino analfabeto, que teve muitos problemas na sua infância e que o afectam enquanto atleta. Penso que um regresso ao Brasil por empréstimo seria um passo atrás.

    Espero que a lesão de Helton não seja grave, pois é uma peça fulcral na nossa equipa.

    Fantástica a coreografia no estádio, de parabéns os adeptos que fizeram uma linda festa.

    Abraço e boa semana

    Paulo

    http://pronunciadodragao.blogspot.com

    ResponderEliminar
  3. Boas,

    Mais uma vitoria (fantastica esta campanha) num jogo que não foi dos mais brilhantes.
    O meio campo não esteve tão dinamico como de costume e a defesa facilitou, para quem como eu esteve no estadio eram visiveis as falhas de marcação quer pelos laterais quer pelos centrais. No entanto a que valorizar mais uma vez a atitude global da equipa e fundamentalmente Falcao !!! não ha palavras para descrever este fabuloso avançado que defende as nossas cores .

    Um abraço

    http://fcportonoticias-dodragao.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  4. Caros portistas, sem dúvida que esta vitória sobre o Sporting foi inquestionável, digam lá o que disserem como o parvalhão do José Couceiro que houve pressão sobre os árbitros do banco, penalty que foi ignorado, lesão do Helton inventada etc. bem podem estrebuchar o que quiserem que este ano ninguém nos tira o mérito da conquista de mais um campeonato. Sejam humildes lagartos, e vergam-se perante o nosso poder, o que vos valeu sem dúvida foi o guarda-redes Rui Patrício que estava inspirado, pois se assim não fosse, vocês saiam do Dragão completamente humilhados.

    Cumprimentos,
    www.ultrasfcporto.com

    ResponderEliminar
  5. Um bom jogo de futebol onde o FC Porto mostrou que atingiu níveis de competência extraordinários. É de destacar a reacção ao golo do Sporting. Até ao empate foram minutos empolgantes só possíveis a uma grande equipa. Há jogadores, como Ruben Micael, que no momento certo dizem “presente”. Vamos é ver se Helton (tens estado impecável) não fica arredado. Seria um enorme contratempo. E espero que Bellushi fique apto quanto antes.

    E eis a 15.ª vitória consecutiva no Campeonato! Um feito excepcional que iguala o da equipa do FC Porto no Campeonato de 1996-97 quando o treinador era Oliveira.

    Abraços. BIBÓ PORTO!

    ResponderEliminar