terça-feira, 25 de outubro de 2011

CERIMÓNIA DE ENTREGA DOS DRAGÕES DE OURO

Para quem não conseguiu assistir à gala de entrega dos Dragões de Ouro, realizada ontem,no Coliseu, com transmissão directa pelo Porto Canal, aqui fica o discurso de encerramento da cerimónia, efectuado de improviso, pelo nosso  Presidente, Jorge Nuno Pinto da Costa:

Foi uma noite fantástica, como acontece todos os anos, a atribuição destes troféus e hoje estamos todos felizes. Eu queria realçar e agradecer a todos a vossa presença. Vocês todos fizeram a festa proporcionando o brilho. Queria, de uma maneira muito especial, agradecer ao senhor ministro Miguel Relvas, que veio propositadamente de Lisboa para nos honrar com a sua presença. Ficamos muito gratos ao senhor ministro da Defesa, Sr. José Pedro Aguiar Branco, portuense ilustre e portista de coração e também  o nosso sentido e grande abraço ao senhor secretário de Estado, Dr. Alexandre Mestre e Dr. Marco António Costa que também vieram propositadamente. Ao senhor presidente da Federação Portuguesa de Futebol, Sr. Gilberto Madaíl, aos senhores deputados, aos senhores presidentes de Câmara, aos senhores presidentes de clubes amigos, a todos vós sem excepção um grande abraço, muito obrigado. 

De um modo particular, não posso deixar de referir que esta festa só foi possível pelo naipe fantástico que tivemos de Dragões de Ouro: 

Desde a Casa de Alfândega da Fé, que na região é o embaixador permanente do FC Porto; à Casa da Venezuela, que em Caracas, ainda há uns dias, conseguiu fazer uma festa com mais de 600 pessoas, num entusiasmo transbordante; 
Ao Rui Carvalho eleito pelos seus colegas como o Funcionário do Ano; 
Ao Cipriano Oliveira, prémio de carreira, por tantos anos ao serviço do FC Porto; 
Desde o Dragão de Ouro para o Dragão Force que é o futuro do nosso Clube; 
Ao Santos Oliveira, atleta amador, que no Bilhar, secção modelo do FC Porto nos enche de vitórias; 
Ao Reinaldo Ventura, atleta de alta competição, que é um símbolo de força e inteligência ao serviço do FC Porto; 
Ao Christian, que foi o jovem do ano, de quem muito esperamos, actualmente ao serviço de um clube amigo que é o Rio Ave; 
Ao Dragão da jovem Revelação, que foi o James Rodríguez, de quem tanto também esperamos; 
Ao Hulk, ao incrível Hulk, que todos nós admiramos e que todos nós sabemos que por tanto valor que tem é constantemente perseguido; 
Ao João Moutinho, atleta à Porto, antes ainda de o ser, conforme eu tinha dito, com a certeza de que ele será um Dragão de Ouro à Porto e cada vez mais será um símbolo do FC Porto;
Ao Dragão Sócio/adepto, Dr. Paulo Teixeira Pinto. É um prazer também tê-lo aqui;
Da mesma forma que fiquei feliz pelo Dragão de Ouro para o Parceiro ter sido concedido à Unicer. Só peço ao Dr. Pires de Lima que, antes de o levar para a Unicer, deixe fotografar a sua filha Madalena com o Dragão, porque ela é portista como todos nós e naturalmente que será um momento de felicidade para pai e filha;
Fiquei muito feliz por ver, mais uma vez reconhecido o mérito do Ilídio Pinto, Dragão de Ouro como Dirigente, por unanimidade eleito. É um símbolo do amor ao FC Porto;
Naturalmente fiquei muito feliz por termos aqui connosco o Pôncio Monteiro. Ele esteve aqui connosco, com a Isabel e com todos nós;
Fiquei igualmente muito feliz por o Dragão de Ouro para o Treinador ter sido, por unanimidade também, entregue a quem não podia deixar de ser, ao André Villas-Boas. E hoje quero aqui dizer, dirigindo-me a ti André, que quando um dia escreveres as tuas memórias, lhe ponhas o título "A MINHA CADEIRA DE SONHO", porque eu sei que esta foi a tua cadeira de sonho e quando o disseste, disseste-o com a convicção e o amor que tens ao FC Porto e será sempre naturalmente a tua cadeira de sonho, que te fará sentar em muitas outras cadeiras. E se escreveres dentro dos próximos trinta anos, se quiseres eu faço-te o prefácio;
E o Dragão de Honra foi uma alegria enorme entregá-lo ao arquitecto Manuel Salgado. Falar do arquitecto Manuel Salgado sem se associar a este nome tudo aquilo que ele fez, durante a sua brilhante carreira, é obrigatório associá-lo ao Estádio do Dragão e ao Dragão Caixa. E quando se fala do Estádio do Dragão e do Dragão Caixa também nos lembramos do arquitecto Manuel Salgado. Muitos parabéns, fiquei muito feliz por lhe poder entregar, com toda a justiça o Dragão de Honra.
Queria agradecer a todos porque o passado não nos pertence, não é nosso. O passado pertence à História e serão os historiadores que farão com que outros o conheçam.  O futuro a Deus pertence, mas o presente é nosso e o nosso presente é uma grande festa, uma grande gratidão, com todos aqueles que aqui vieram propositadamente para conviver connosco, para glorificar os nossos Dragões, para lhes dizer obrigado e eu, daqui vos retribuir com um grande abraço, do fundo do coração, um grande agradecimento por aqui terem estado e por terem abrilhantado desta maneira esta festa dos Dragões de Ouro e do Dragão de Honra.

Muito obrigado a todos.

6 comentários:

  1. Admiro André Villas-Boas como treinador, continuo a gostar que ele seja Portista, mas não me deixo ir no canto da sereia quanto à sua cantata. Não vou nas suas lágrimas de crocodilo. Para já, as frases com que ele adornou o seu discurso são do poema Aleluia, que Pedro Homem de Melo dedicou ao F. C. Porto na década de sessenta, do século XX (e não como parece que o jornal O Jogo afirma, pois tais versos nunca foram de Eugénio de Andrade, que nem gostava de desporto...) E não ficava nada mal ao V. B. referir a fonte... Bem como, se tudo fosse como ele agora quer deixar transparecer, nunca deveria ter tomado uma atitude tão à pressa e lesa-F. C. Porto... Mas, já diz o velho ditado, o F. C. Porto ama-se ou deixa-se.

    http://longara.blogspot.com/2011/10/gala-dos-dragoes-de-ouro-numa-outra.html

    ResponderEliminar
  2. peço desculpa, mas há um lapsus linguae na redacção do post: não será André £ibras-Boas?

    para mim e parafraseando um enorme portista dos quatro costados, «o Portismo não se apregoa; pratica-se».


    somos Porto!, car@go!

    «este é o nosso destino»: «a vencer desde 1893»!

    saudações desportivas mas sempre pentacampeãs a todos vós! ;)

    Miguel | Tomo II

    ResponderEliminar
  3. O Cipriano Oliveira creio que é o senhor Celestino, o presidente enganou-se e eu ainda reconheço o senhor Celestino que não via há anos. Ou estarei enganado?

    ResponderEliminar
  4. Tens razão Zé Luís, o Presidente chamou-lhe Cipriano, mas o nome correcto é Celestino. Obrigado pela chamada de atenção.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  5. Caro amigo, a festa foi bonita, mas não gostei de algumas coisas.
    Parecia uma festa em honra de uma pessoa e o espírito que se vivia no Coliseu cheirava-me a nostalgia, uma espécie de regressa D.Seabastião.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  6. Amigo Vila, compreendo o teu desagrado, mas julgo que estás a exagerar na tua apreciação. Tive a oportunidade de comentar, em devido tempo, no teu blogue sobre a minha discordância em relação à atribuição de dois dos Dragões de Ouro, pelo que sabes da minha sintonização em relação ao post que então produziste.

    Independentemente disso, acho que foi uma festa organizada com o nível e chancela próprios de um grande Clube.

    Uma vez atribuídos os Dragões de Ouro, entendo que o que se passou na festa foi o corolário natural, muito digno e civilizado. Ficaria triste se não fosse assim, pelo que me parecem injustas e infundadas as tuas críticas.

    Reconhecer os méritos desportivos de alguém, não pode nem deve ser confundido com nostalgia ou sebastianismo.

    Um abraço

    ResponderEliminar