sexta-feira, 23 de setembro de 2011

EMPATAR COM FRAQUINHOS, IGUAL A DERROTA!

FICHA DO JOGO
(Clicar no quadro para ampliar)

O FC Porto perdeu hoje uma boa oportunidade para se isolar no comando da classificação do Campeonato nacional, ao consentir um empate, no seu Estádio, quase lotado, com um ambiente espectacular, próprio dos grandes jogos, frente ao clube do regime.

Os Dragões esmagaram o rival durante toda a primeira parte, praticando futebol de fino recorte técnico, ofensivo, enleante, dinâmico e consistente, onde apenas faltou um pouco mais de eficácia na concretização,  obrigando o rival a ter de se preocupar prioritariamente com as tarefas defensivas. Tanto domínio, no entanto, renderia apenas um golo, apontado pelo brasileiro Kleber, apesar das oportunidades criadas, tendo o desperdício mais flagrante pertencido a Fucile, que na cara do guarda-redes contrário não teve e frieza para o desfeitear.

Acabariam por ceder, no tempo complementar, evidenciando quebra física e alguma incapacidade para controlar o jogo. Sofreu o empate no arranque da segunda parte mas foi ainda capaz de responder rapidamente a preceito, voltando ao comando do marcador três minutos depois, por Otamendi. Mas as forças começaram a faltar e, a pouco e pouco foram perdendo o domínio do jogo e a exporem-se cada vez mais ao contra-ataque forasteiro, até voltarem a sofrer novo empate. Empate muito festejado pelas hostes vermelhas, porque na verdade empatar no Dragão tem sabor a vitória!
Kleber e Otamendi, os marcadores dos golos portistas

Destaque para o bom desempenho colectivo da primeira parte, onde apenas a finalização esteve aquém do desejável, com um conjunto de boas exibições: Álvaro Pereira, Fernando, Guarín, Moutinho, Hulk e Kleber.

Pela negativa, a quebra física, em grande parte do segundo tempo e as já habituais «abébias» defensivas que nos custaram dois golos.

3 comentários:

  1. Entregamos o ouro ao bandido

    Uma primeira-parte excelente, fomos superiores em todos os capítulos e mereciamos pelo menos, uma vantagem d e dois golos.

    Depois, na etapa complementar, nem pareciamos a mesma equipa. Lentos, complicativos, sem frescura física e a dar abébias, fomos penalizados e o resultado, principalmente pelo que vimos até ao intervalo, deixa um sabor bem amargo.

    Vítor Pereira, tem agir e não de reagir. São os que agem e não reagem que têm feito história no F.C.Porto.

    Abraço

    ResponderEliminar
  2. Bom dia,

    O resultado de ontem sabe a derrota.

    Depois de uma primeira parte bem conseguida, mas sem eficácia atacante, na segunda parte voltamos ao nível exibicional de Aveiro.

    Está bem que o Benfica teve sorte em obter o golo na entrada do segundo tempo, mas também é verdade que foi muito por inépcia nossa.

    Vítor Pereira deu a entender que só temos pernas para meio tempo ... bem isto é preocupante.
    Não temos capacidade para gerir o jogo depois de estarmos em vantagem, falta-nos qualquer coisa, e não é só o alegado fantasma Falcao.

    Kléber é a segunda partida consecutiva que sai ao intervalo, por problemas físicos. Walter não tem ritmo competitivo, Iturbe não é convocado, e ontem Hulk não devia estar a 100% fisicamente, pois Hulk de cansaço não padece ... tem pulmão para 90 minutos ou mais.

    Assim na segunda parte o Porto eclipsou-se. Varela e Hulk deixaram de desequilibrar, e a partir do momento que VP retira Guarin, e o Benfica coloca Bruno César, perdemos o controlo do miolo, e o golo do empate encarnado advinhava-se...e aconteceu.

    Destaques individuais para Otamendi e Guarin os melhores em campo. Fernando e Moutinho também cumpriram e trabalharam imenso.

    Espero que a equipa técnica consiga recuperar fisicamente a equipa, e que estabilize na escolha do motor de qualquer conjunto, que é o seu meio-campo. Defour de titular e opção regular, passa a não utilizado.

    Os adeptos que se deslocaram ao Dragão e que apoiaram a equipa não mereciam este resultado. A equipa tem de puxar pelo público também.

    Abraço e bom fim de semana

    Paulo

    pronunciadodragao.blogspot.com

    ResponderEliminar
  3. Não se pode considerar um mau resultado empatar com o maior rival, mas no Dragão pedia-se uma vitória, ainda para mais depois de toda a primeira parte realizada.

    Não dá para explicar o que aconteceu, mas a verdade é que na segunda parte a nossa equipa adormeceu e isso permitiu aos visitantes chegar ao 2-2 final, que podia muito bem ter sido evitado.

    São já dois empates seguidos a contar para o campeonato e não podemos voltar a escorregar se queremos manter a liderança.

    Um abraço

    ResponderEliminar