segunda-feira, 16 de setembro de 2019

DA TRANQUILIDADE AO SOBRESSALTO COM FIM FELIZ

















FICHA DO JOGO





























SISTEMAS TÁCTICOS


























De regresso às competições de clubes, o FC Porto deslocou-se a Portimão onde, depois de 75 minutos de tranquilidade e com dois golos à maior, permitiu o empate, teve de suportar momentos de sobressalto, que custou a expulsão de Alex Telles, para acabar com o golo da vitória, no último lance da partida.

Sérgio Conceição não pode apresentar o mesmo onze titular do anterior encontro, por incapacidade física de Romário Baró. Otávio foi o eleito para tomar o seu lugar.

Frente a uma equipa bem organizada e servida por atletas de boa qualidade técnica, os azuis e brancos, neste jogo com o seu equipamento alternativo amarelo, cedo tomou conta do comando da partida, criando alguns lances prometedores.

Foi no entanto de grande penalidade que acabaria por se adiantar no marcador. Jadson cortou um cruzamento de Otávio com o braço e o árbitro da partida assinalou a falta, confirmada pelo VAR. Alex Telles cobrou com boa pontaria enganado o guarda-redes contrário (25').

Os portistas mantiveram a toada à procura de novo golo que só apareceu após duas tentativas (Danilo e Zé Luís falharam por pouco). Cruzamento de Uribe e emenda feliz de Zé Luís (45').

No segundo tempo a equipa do FC Porto entrou com menos pressão, mais confiante de que o resultado conseguido estava seguro e apesar de ter começado a criar algum perigo, com Marega a obrigar Ricardo a uma defesa apertada, por volta dos 74 minutos acabou por permitir o empolgamento da equipa da casa. Dener desviou de cabeça um cruzamento que só parou dentro da baliza de Marchesín.

A partir desse momento os algarvios obrigaram os jogadores portistas a recuar no terreno, acabando por ser bafejados, três minutos depois, por um remate monumental de Anzai, sem hipótese de defesa para o guarda-redes argentino.

Com a igualdade no marcador a equipa do FC Porto ficou aturdida e em mais três momentos a área nortenha sofreu algum abalo, o último das quais teve de ser desfeito com falta de Alex Telles, a merecer o cartão vermelho que o VAR aconselhou (92').

Parecia ter sido o golpe fatal nas aspirações portistas de lutar pelos três pontos. Mas um Dragão nunca desiste nem perde a esperança e a prova disso é que no último lance da partida, Corona apontou um canto e Ivan Marcano desviou de cabeça para a vitória.

Triunfo saboroso, feliz e muito valorizado pelo adversário.


Sem comentários:

Publicar um comentário