domingo, 26 de agosto de 2012

EXIBIÇÃO DE «LUCHO»

FICHA DO JOGO
(Clicar no quadro para ampliar)

Vítor Pereira tinha alertado os seus jogadores para o facto de terem de jogar à Campeão e abordarem os jogos com ritmo, agressividade nas acções, intensidade e rapidez.

Os atletas fizeram-lhe a vontade, pelo menos na esmagadora maioria do tempo. Mas o técnico também se penitenciou e decidiu proceder aos ajustamentos mais evidentes, no onze titular. Danilo e Alex Sandro surgiram nas laterais defensivas e Christian Atsu na ala esquerda, remetendo para o banco Miguel Lopes, Mangala e James Rodrígez.

A medida foi coroada de êxito pois os defesas laterais brasileiros deram mais profundidade (mais Alex que Danilo) e Atsu foi mais irreverente e perigoso.

Os Campeões nacionais entraram bem no jogo, com os predicados solicitados pelo técnico, Lucho em evidência quer na recuperação da bola como na distribuição do jogo quer ainda no capítulo do remate. Pertenceram-lhe os remates mais perigosos e intencionais, mesmo antes de inaugurar o marcador, aos 15', no aproveitamento de um ressalto em posição frontal e com remate forte e colocado que deixou o guardião vimaranense sem hipóteses de defesa.

Foram 45 minutos de futebol dinâmico, constantes trocas de bola e de posições, apoio permanente dos laterais, num carrossel difícil de parar. Para ser um jogo perfeito, à «Barça» faltou-lhe apenas uma melhor definição no último passe e eficácia no remate. De resto, foi um domínio esmagador sobre uma equipa sem argumentos para contrapor.

Para a segunda metade, os azuis e brancos trouxeram de balneário os defeitos do jogo anterior em Barcelos: pouca velocidade, pouco ritmo, pouca dinâmica, muitos passes falhados e muita desconcentração, permitindo ao V. Guimarães aliviar o sufoco e subir um pouco no terreno, durante cerca de 20 minutos. 
Foi então que Lucho voltou a pegar nas rédeas motivando os seus colegas e pouco tempo depois Hulk, bem servido por Moutinho, desferiu uma das suas famosas «bombas» de pé esquerdo, batendo sem apelo nem agravo o guardião contrário. O FC Porto voltava a encontrar o ritmo ideal e o seu futebol voltava a ser demolidor.  Lucho bisou numa recarga a remate intencional de Atsu, que Douglas defendeu à primeira e 9 minutos depois Jackson Martinez estreou-se a marcar na Liga, de grande penalidade sobre Moutinho, que o colombiano resolveu à «Panenka». Refira-se que o artista do apito tinha já perdoado uma grande penalidade aos 33' da primeira parte quando o defesa vimaranense N'Diaye meteu os braços à bola para deter um remate de Hulk.

Foi uma vitória gorda e justa com exibições muito pendulares de quase toda a equipa, com excepção para os primeiros vinte minutos da segunda parte. Os meus destaques vão para Lucho Gonzalez, o melhor em campo, jogou fez jogar e ainda marcou dois golos; Alex Sandro muito bem a apoiar o ataque, Fernando uma parede no meio-campo e Christian Atsu, rápido, destemido e empreendedor.

Espero que seja para repetir.

4 comentários:

  1. No futebol não há exibições perfeitas, mas a exibição da equipa do F.C.Porto foi muito boa e durou quase o tempo todo. Houve pressão, intensidade, largura, profundidade, qualidade, muita qualidade. O Vitória pareceu, não é, uma equipa banal, porque foi obrigado a isso pela forma como jogou o campeão. Não é caso para embandeirar em arco, estamos no início, até ao fecho do mercado, ainda pode acontecer muita coisa, mas se houver calma, paciência e confiança, temos gente para voltar a ganhar.

    Abraço

    ResponderEliminar
  2. Bom dia,

    O FC Porto presenteou os seus adeptos com uma exibição consistente, com domínio e controlo absoluto de um adversário impotente para travar a avalanche ofensiva, sob o comando de Lucho, com a classe de Hulk e a magia de Atsu.
    Foram só quatro, mas o Vitória arriscou-se a ser humilhado no Dragão.
    Desde de VP sentou o "cú no mocho", esta foi a melhor exibição da nossa equipa, e porquê?
    Dinâmica, Domínio e Lucho ... e colocou as peças no lugar certo!
    O nosso miolo foi dinâmico, ao contrário do jogo em Barcelos, fizemos circular a bola ao invés de correr com ela.
    Tivemos dois verdadeiros laterais de qualidade, que subiram no corredor, que criaram desequilíbrios. As constantes trocas de posição entre os médios e os extremos, com os laterais em apoio, é a dinâmica que nós portistas ansiávamos à muito.
    Atsu aqui e ali criou lances mágicos, deixando o capitão vimaranense envergonhado perante tal afronta. Atsu é o verdadeiro extremo do plantel. Ao contrário dos seus colegas de sector, não finta e foge para dentro, finta em progressão deixando o lateral adversário como uma barata tonta, pois nas suas costas aparecia Alex Sandro a explorar aquele espaço deixado pelo jovem ganês.
    É no espaço entre o lateral e o central que se criam mais desequilíbrios numa defensiva contrária.
    Uma palavra para Hulk que nos últimos dias tem visto o seu nome nos jornais, mas que tem grande tolinha e demonstrou mais uma vez ser um grande profissional.
    Hulk a sair do nosso Porto merece um clube e um campeonato compatível com a sua qualidade.
    Os adeptos nas bancadas mereceram esta boa exibição.
    Esperámos pois que a equipa agora não caia na bipolaridade patenteada na época passada.
    Temos um excelente plantel, e temos tudo para ser tri campeões, para tal basta humildade e Ser Porto dentro e fora do campo.
    James teve uma pequena lição, ficou no banco e viu Atsu a dizer presente. Não se pode querer o céu rápido demais.
    Faltam poucos dias para o fecho de mercado e para a definição do plantel.
    Iturbe parece ser carta fora do baralho, após mais uma semana de twi"tanso". Nem com o "tutor" Lucho, o jovem argentino aprendeu o que a casa gasta, por conseguinte será salutar o seu empréstimo para que desça à terra.

    Bom domingo.
    Abraço

    Paulo

    pronunciadodragao.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  3. Boas,

    Acabaram as ferias !!!

    Se duvidas existissem sobre VP, Lucho, Moutinho, Hulk Atsu, e o resto da equipa, a exibição do Campeão deita por terra os detractores.
    Contra factos não ha argumentos, VP mexeu na equipa, sairam Miguel Lopes, Mangala e James e acertou na mouche. Para quem gosta de futebol esgte é um jogo para ver e rever e foi um prazer assistir á magnifica exibição do PORTO.
    Se mantivermos esta bitola, esta exigência e esta dedicação temos certamente um futuro risonho.

    Gostei, Gostei, Gostei muito !!!

    PS - 2 jogos 2 penaltis não assinalados

    Um abraço

    http://fcportonoticias-dodragao.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  4. Nada a opor. Agora só se deseja que mantenham o nível exibicional; o resto vem por acréscimo.

    Abraço.

    ResponderEliminar