segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

DRAGÃO ARRASADOR TORROU GALO SEM CRISTA











































Na foto, da esquerda para a direita, em cima: Helton, Fernando, Mangala, Jackson Martinez, Danilo e Otamendi; Em baixo: João Moutinho, Defour, Lucho Gonzalez, Alex Sandro e Silvestre Varela



O FC Porto assumiu hoje o comando da classificação ao vencer categoricamente o Gil Vicente, com um resultado gordo e uma exibição magnífica.

Os Dragões entraram no jogo, fortes, dominadores e realizadores. Os dois primeiros golos surgiram cedo facilitando as operações, desmontando logo aos 4 minutos o esquema super defensivo dos minhotos, que desta vez optaram por vir jogar apenas e só futebol, ao contrário das outras equipas que têm defrontado os azuis e brancos, que misturam, com a complacência dos árbitros, outras modalidades, como o ragby, a luta livre, o boxe e até o karaté.

Talvez por isso, a indignação dos comentadores que cobriram o jogo, televisão e rádios, que apelidaram o jogo do Gil Vicente de «macio».

Esta lealdade pelas regras do jogo, permitiram ao FC Porto desenvolver um futebol fluido, consistente e estético, aprimorado aqui ou acolá com pormenores técnicos de fino recorte, que  só o talento dos seus atletas permite.  

A supremacia portista foi esmagadora em todos os capítulos do jogo. Com muita posse de bola (chegou aos 85%) e uma circulação, inteligente e quase perfeita, o FC Porto deu-se ao luxo de jogar para o espectáculo. Rápidos a pensar e lestos a executar, os Dragões não deram quaisquer hipóteses de reacção ao seu adversário.




















Foi uma exibição muito agradável, onde o colectivo sobressaiu, mais uma vez. Todos estiveram em bom plano. Até Silvestre Varela, que vem desempenhando a personagem da «Múmia paralítica», hoje, a espaços, reencarnou o «Drogba da Caparica».

Apesar da arbitragem ter tido um jogo simples e fácil de dirigir, não se pode dizer que o seu trabalho tenha saído imaculado. Bem na mostragem dos dois amarelos a Cláudio, foi tolerante numa entrada perigosa de Vítor Vinha sobre Danilo, logo nos primeiros minutos e sonegou uma grande penalidade ao FC Porto, aos 16 minutos, quando César Peixoto derrubou Danilo, utilizando o ombro no peito do defesa portista.

Com esta vitória o FC Porto assume o comando partilhado da tabela classificativa, beneficiando da maior diferença de golos marcados/sofridos, primeiro factor de desempate, nesta altura da prova.

4 comentários:

  1. O Guilherme Aguiar é fraquinho fraquinho, está envergonhando a todos nós portistas em não responder á altura ao verme gomes da silva.

    Se o encornado lampião diz que a estrutura infalível "falhou" nas tais 72 horas, o totó do Aguiar tinha que usar o "avisador" do jogo briosa-lampiões, que o verme gomes da silva disse com todas as letras que "alguém avisou os sl barbies sobre a arbitragem" e até hoje não disse quem é e nem foi depor no devido tribunal da LFPF.

    UM FILHO DE UMA P*** lampião mentiroso querendo dar lição de moral e o Aguiar ao invés de ir com tudo pra cima dele, fica-se a rir e a se armar em gentleman bem educado.

    Ataque o verme venenoso com as mesmas armas, ó Aguiar totó!!!

    ResponderEliminar
  2. Vitória sem espinhas do dragão que poderia ter marcado ainda mais. Penalty por assinalar e jogo 100% controlado! Vitória à Porto

    http://dragaocomrazao.blogspot.pt/2013/01/fc-porto-vs-gil-vicente-lideranca-e.html

    ResponderEliminar
  3. Ainda sem contar com Liedson, por falta de certificado internacional, com Fernando a trinco - na única alteração em relação à equipa que entrou de início em Setúbal. Saiu Kelvin - e com Defour na meia-esquerda - pela direita entravam Lucho, Varela e um Danilo muito profundo - a provar que mesmo frente a equipas muito fechadas, se a dinâmica funcionar, se houver rapidez a pensar e a executar e mais gente envolvida no processo ofensivo - Fernando esteve muito próximo da área, principalmente na primeira-parte -, as coisas também podem resultar e bem, com o belga na equipa. Foi o que aconteceu esta noite no Dragão.
    Foi um Porto exuberante, de grande fulgor e nota artística, aquele que hoje depenou, assou e comeu, um galo incapaz de contrariar uma das melhores exibições da época do conjunto treinado por Vítor Pereira.

    Abraço

    ResponderEliminar
  4. Bom dia,

    Desde o apito inicial, a nossa equipa deu um sinal claro que pretendia resolver a contenda o mais célere possível.

    O FC Porto com uma pressão muito alta e muita posse de bola, não deixou o Gil Vicente armar jogo, e foi com naturalidade que a goleada foi construida.

    O Gil Vicente foi impotente perante o nosso domínio, e a nossa atitude e classe tornaram fácil o jogo que se avizinhava difícil.

    Desta vez o destaque vai para o nosso jogo colectivo.
    Tivemos momentos de grande futebol, com grande entrosamento entre sectores, com o nosso miolo constituído por Fernando, Lucho e Moutinho a efectuar uma exibição sem mácula.
    Defour e Danilo evidenciaram-se pelos excelentes golos apontados.
    Defour é o jogador mais útil do plantel. Disciplinado tácticamente, o belga consegue ser uma mais valia para o equilíbrio da equipa. Mereceu o golo que já procurava à algum tempo.
    Lucho fez duas assistências para golo, formando com Moutinho uma dupla de respeito.
    O momento da noite foi a finalização de Jackson no quinto golo. O colombiano é um avançado de classe e uma vez mais com um grande pormenor técnico, finaliza na passada.

    A nossa equipa fez um jogo seguro e acabou por obter uma vitória fácil.
    Sem colinho e sem frangos o FC Porto chega à liderança em absoluto do campeonato, fruto de uma maior diferença entre golos marcados e sofridos.

    Abraço e boa semana

    Paulo

    pronunciadodragao.blogspot.pt

    ResponderEliminar